Menu

The Walking Dead (4º Temporada) [Série]


Continuando meu vício enoorme por TWD, eis que terminei a quarta temporada e mais uma vez estou aqui para resenhar esta incrível série. Para conferir as resenhas anteriores, clique aqui e já deixo o aviso de que há spoilers para quem nunca assistiu as temporadas anteriores.

The Walking Dead (4º Temporada)



Sinopse: Superando as recentes perdas, os sobreviventes liderados por Rick Grimes continuam com suas vidas na prisão, agora reforçada com a presença dos antigos moradores de Woodbury. Juntos terão que enfrentar uma ameaça maior que os zumbis, incluindo a propagação de uma epidemia mortal que se espalha pela prisão e o retorno do Governador.
Gênero: Drama, ficção, terror, zumbi, thriller
Nº de Episódios: 16
Ano: 2013 -2014
Onde Encontrar: Melhores Torrent Brasil


Estava ansiosa por esta temporada, principalmente pelo fato de que o conflito entre o Governador e Rick seria resolvido. Daí, no primeiro episódio me parece Rick Grimes modo fazendeiro ativado, então imaginem minha reação... Sim. Fiquei meio sem entender. Mas tudo bem, após o choque inicial, voltei a me ambientar no universo de The Walking Dead e sinceramente, não esperava alguns dos desdobramentos que se sucederam. Quando tudo parecia estar indo bem, sem o Governador dar as caras por um tempo, 
o azar persegue o grupo e uma epidemia se espalha pela prisão.



Muitos dos sobreviventes falecem, restando poucos que tentam fortemente resistir à doença. Com a morte de um deles, duas garotinhas acabam se aproximando de Carol que é obrigada a deixar a prisão devido a um ato totalmente inesperado. Enquanto a moça está fora, o Governador retorna (depois de passar um tempo sem rumo andando como mendigo) com um grupo armado, pretendendo acabar com Rick e seus amigos de uma vez por todas. O conflito torna-se inevitável a partir do momento em que o Governador realiza o ato que seria o estopim para a guerra. P.S.: E que ato mais chocante, não? Ainda não superei aquela cena!



E temos então, o melhor episódio da temporada. O episódio 8 foi intenso, chocante e repleto de ação. A guerra entre os grupos colocou todos os personagens em um verdadeiro campo de batalha, o que se tornou uma ótima jogada dos roteiristas, afinal, era algo muito esperado que simplesmente foi deixado de lado na temporada anterior e só pode-se conferir nesta. Com o caos espalhado, o grupo acaba dividido formando improváveis duplas, trios e etc. P.S.²: Destaque para o conflito Rick vs Governador que rendeu ótimos socos e pontapés.


Então, como mencionei, o grupo inteiro foi dividido e após encontrarem placas espalhadas por diversos locais, onde citam um local denominado Terminus que poderia ser seguro, decidem ir em busca de seu possível novo lar. Para saber o que acontece a partir daí, só assistindo mesmo. Não tenho mais o que comentar sobre o enredo em si porque nos primeiros episódios tem-se apenas a epidemia, um pouco de blá blá blá sobre o que o Governador andou fazendo da vida (andando como mendigo) e pouca ação, o que não estava me convencendo muito devido ao fato do meu interesse estar voltado para a resolução do fight Governador vs Rick, o que quando finalmente aconteceu, não me decepcionou.
  •  Considerações Importantes
Assim como nas outras temporadas, sempre há o surgimento de novos personagens e nesta não foi diferente. Não acho que algum personagem mereça um parágrafo inteiro só para si, então vou juntar todos em um só:


Dentre os recém chegados temos Rosita (Christian Serratos) , Eugene (Josh McDermitt) e Abraham (Michael Cudlitz), dos quais pode-se tirar as seguintes conclusões; Abraham: demonstrou que serve para eventuais batalhas, Rosita: minha opinião sobre ela é tipo a que tinha sobre a Beth na segunda temporada e Eugene: inútil. Outra que chegou fazendo besteira mas que até conseguiu ganhar um mínimo afeto da minha parte foi a Tara (Alanna Masterson), 
apesar de que também pode ser colocada futuramente na lista a qual a Rosita está...


Mas os destaques mesmo vão para:


- Carol e sua nova família: Uma das minhas maiores surpresas neta temporada está aqui. Carol que eu pouco dava valor, tomou decisões que me surpreenderam bastante. Nesta temporada, ficou muito mais evidente o quanto a personagem evoluiu e se tornou uma mulher determinada e forte, totalmente diferente da boboca que apanhava do marido. E eu apoiei totalmente esta mudança, afinal, isto demonstra o quanto as pessoas podem mudar interiormente em mundo onde só os fortes sobrevivem.

P.S.³: A improvável família.


- Rick & Carl: Outros dois que merecem ser mencionados. Rick passou por um verdadeiro surto na temporada anterior, o que ainda está sendo "tratado" mas que não o faz ser menos interessante. O protagonista conseguiu se tornar um pouco do que era antes nesta temporada, porém, também demonstrou sua capacidade mortal de ser um Shane 2.0 novamente, demonstrando o conflito que existe em si. Acho que justamente por isso, a cada temporada gosto mais do protagonista, não é o tipo todo certinho que sempre agirá de acordo com seus princípios (deixem isso para o Glenn), pelo contrário, ele é o conflito em pessoa, o que para mim o torna muito mais aceitável. Carl continua me surpreendendo, o garotinho bobo cresceu e acompanhar seu desenvolvimento como pessoas no mundo caótico é tão interessante quanto ver seu pai tentando ser um adulto normal. P.S.4: Gostei do fato desta temporada ter explorado a relação pai e filho entre os dois, era algo que estava sendo necessário desde o acontecimento bombástico da terceira temporada.

- Michonne (Danai Gurira): Michonne chegou chegando desde o começo mas nesta temporada foi possível conhecer mais sobre como era sua vida, o que a fez se tornar o tipo de pessoa que é.

 De todas as personagens femininas é a que considero a mais forte e junto com a Maggie (que nesta temporada conseguiu me emocionar com sua maneira de lidar com a dor de perder alguém e seguir em frente) está na minha lista de preferidas. 
 P.S.5: As habilidade da Michonne com a espada são incríveis, não canso de invejar isto. 


- Beth & Daryl: Beth foi a personagem que subiu no meu conceito nesta temporada. Após eu analisar fortemente sua função na trama que desde um "não tenho ideia", se transformou em  "a babá" e finalmente chegou em "consolar o Daryl", posso afirmar agora que entendo um pouco melhor a personagem e sua maneira de pensar. Gostei da aproximação dela com o Daryl, o que serviu para ambos como válvula de escape para suas tristezas até então camufladas. O arqueiro é um dos meus personagens preferidos, e suas ações sempre me cativam, seja querendo socar alguém ou fingindo que não dá a mínima, este é o Daryl. Só sua presença já é marcante o suficiente sem precisar de qualquer outro comentário.


- Glenn: O moço passou por um momento bem complicado na temporada anterior, então obviamente, eu pensava que ele teria um pouco de sossego nesta, o que adivinhem?! Não aconteceu. Então, mais uma vez, o asiático se viu em momentos complicados e demonstrou sua esperteza e claro, humanidade. Glenn até agora foi o personagem que se manteve firme com seus princípios (apesar de ter entrado em conflito com os mesmos anteriormente), 
não sei como ele consegue mas que isto é um grande feito, com certeza, é. 


Sei que faltou comentar outros personagens, mas não acho que tenham feito grande coisa, então não vou nem citar. No geral, são esses mesmo. P.S.6: Tentando engolir Bob, Sasha e Tyreese na trama. Não que eu os odeie, apenas, ainda não encontrei um motivo para gostar deles. Vamos ver se na quinta temporada isso muda, quem sabe...
  • Conclusão
O ritmo da temporada é um pouco mais lento do que as anteriores, mas não acho que a trama em si perdeu a lógica ou deixou de ser interessante. O tão aguardado conflito entre Rick e o Governador foi surpreendente, principalmente por causa da morte de um determinado personagem que chocou não só aos demais personagens mas a mim também (a forma como ele morreu foi marcante). Os roteiristas exploraram as relações entre alguns personagens, como os acontecimentos após a guerra na prisão iria os dividir, e consequentemente os abalar já que ficariam sem saber quem teria sobrevivido ou não no caos. Este foi um ponto positivo da temporada.


Por fim, deixo aqui minha opinião sobre quem realmente merece o prêmio "destaque da temporada": a garotinha Lizzie (Brighton Sharbino) foi de longe, a que mais me chocou com sua maneira de pensar e claro, com sua mais que maluca ação para com sua irmã (o que foi aquilo?), a jogada dos roteiristas por um lado foi brilhante, afinal, demonstraram que uma criança pode perder a inocência dependendo de suas experiências vividas em um mundo perturbador, entretanto, por outro, achei doentio, não consegui deixar de ficar chocada com a atitude da menina. Porém, TWD não seria o que é hoje se não trouxesse estes questionamentos á tona, como fazer uma criança manter sua sanidade após tantos acontecimentos traumáticos? Parabéns para os roteiristas que com maestria souberam causar uma baita reflexão no telespectador e claro, para a atriz mirim que realmente convenceu atuando (não é que ela tinha mesmo cara de psicopata?).
  • Melhor cena
- Michonne demonstrando um lado até então, desconhecido.

Em breve resenha da quinta e sexta temporadas.
Vamos aguardar e conferir o que TWD nos reserva.

P.S.7: Amizade é coisa linda de se ver. <3

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Sua opinião também é importante. Comente! (:

Topo