Menu

Good Morning Call 2 [J-Drama]


Em pleno fevereiro eu ainda estou tentando finalizar vários doramas do ano passado, enquanto isso vocês ganham inúmeras resenhas, inclusive de j-dramas, e fontes me disseram (não vou dizer que foi a Srtª Duu) que vocês pediram por mais resenhas  de dramas japoneses aqui no blog então, aqui está.


Sinopse: Good Morning Call - Our Campus Days mostrará a vida universitária de Nao Yoshikawa e Uehara Hisashi.
Gênero: Comédia, Romance
Nº de Episódios: 10
Ano: 2017
Onde Encontrar: Netflix Brasil

Então antes de começar a resenha deixo claro que se você não assistiu a primeira temporada deste jdrama receberá uma chuva de spoilers caso continue a ler este post. Quem já conferiu a temporada anterior pode ler sem medo e quem assistiu à segunda temporada, por favor, vamos conversar aqui seriamente sobre essa sequência. Dito tudo isto, vamos lá!

- Segunda Temporada: Então né...

A segunda temporada denominada Good Morning Call 2 - Our Campus Days continua contando a história de amor entre Uehara e Nao, porém se antes eles estavam lidando com o ensino médio, agora eles são oficialmente universitários e precisam enfrentar várias mudanças, principalmente a ampliação do mundinho em que viviam. É praticamente isso, os protagonistas estão situados em uma nova realidade, ao invés de morarem na mesma casa como era anteriormente, agora são vizinhos e namorados que conhecem novas pessoas e recebem novas oportunidades. Eu até achei que mostrariam um pouco mais sobre a vida de universitário e como a mudança na vida da pessoa que sai do ensino médio diretamente para a graduação é um tanto quanto assustadora à primeira vista porém, o que me chateou é que isso ficou em segundo plano e não temos uma abordagem muito interessante do cenário universitário japonês. E sério, eu queria muito ver isso porque não me recordo de ter conferido um dorama japonês que fosse ambientado em faculdade, se alguém viu algum dorama legal sobre isso recomenda aí nos comentários, por favor. Admito que foi meio que um erro meu esperar algo além da história de desenvolvimento do romance do casal principal, afinal a segunda temporada assim como a primeira gira em torno do romance, um verdadeiro shoujo retratado na telinha. Não pensem que eu não gostei desta temporada, eu curti sim, mas admito que esperava muito mais e a grande culpa de eu ter finalizado esta sequência foi o fato de ter me apaixonado pelo second leader. Fazer o que né?! A gente não manda no coração não, gente! Vou comentar isto em outro tópico, então só posso dizer por agora que a segunda temporada nos traz um desenvolvimento do relacionamento de Nao e Uehara de maneira clichê, leve e bem comum a mangás shoujos, daquele jeitinho bem japonês de se contar uma história de amor. 

I Am not a Robot [K-Drama]


Minha recomendação de hoje é sobre um dos doramas mais amorzinhos que já tive a oportunidade de assistir, olha, quem curte trama de romance com altos níveis de fofura, precisa imediatamente colocar este na lista. Já aviso de antemão que não me responsabilizo pelo grande post e os surtos que podem sair do controle, mas sei que terão paciência e lerão até o fim. Pelo menos, espero que sim!


Sinopse: Kim Min Kyu tem riqueza e sucesso, mas vive uma vida isolada devido a sua alergia a pessoas. Ele então conhece e se apaixona por uma garota que está fingindo ser uma robô para o ex-namorado dela.
Gênero: Romance, Comédia, Drama
Nº de Episódios: 32 (aproximadamente 30 min cada)
Ano: 2017 - 2018
Onde Encontrar: DramaFever (online); Kingdom Fansubs (download/online)

- Enredo: Uma robô (?) & Um humano

A sinopse resumiu o que se trata o drama mas claro que eu vou detalhar mais um pouquinho né?! Então, nosso protagonista Kim Min Kyu é um herdeiro chaebol que herdou o conglomerado da família e é muito bem-sucedido como CEO. Ele possui uma doença um tanto quanto estranha, alergia a contato humano, a pessoas, por isso, vive isolado em sua mansão (e que mansão!) saindo dela apenas em último caso. Até mesmo quando ele precisa ir à sua empresa por algum motivo específico, anuncia ao seu fiel empregado para que ele retire todos de seu caminho, a fim de evitar qualquer contato físico. Por ser tão solitário, Min Kyu ocupa sua casa com jogos, tudo que possa diverti-lo, utilizando tudo de mais tecnológico que possa lhe entreter, por isso, por essa companhia inesperada acabou criando afeição por seus eletrodomésticos. Uma equipe de desenvolvimento de AI (Inteligência Artificial) faz com que Min Kyu descubra sua mais nova tecnologia, uma robô com a aparência totalmente humana chamada Aji-3 que é capaz de se comunicar, o objetivo da equipe é fazer o CEO garantir fundos de pesquisa para eles. Min Kyu fica encantado pela nova tecnologia e decide testá-la por um tempo, entretanto, antes da entrega do produto, da robô ser levada para a mansão do Min Kyu, ela acaba sofrendo um grave dano. Não tendo outra escolha, o pesquisador responsável, o Dr. Hong Baek Gyun, pede para a pessoa que serviu como modelo, sua ex-namorada, para a moça fingir ser a robô por uns dias. Assim, somos apresentados à protagonista feminina, Jo Ji Ah, uma garota sonhadora com ideias inovadoras que busca apoio financeiro para poder desenvolvê-las. Por seus próprios motivos, Ji Ah aceita fingir ser a robô e ir para a mansão, porém, chegando lá, ela percebe que o CEO em questão é alguém que conhecera recentemente em uma pequena confusão. Ji Ah tem medo de ser reconhecida porém o tapadinho do Min Kyu não percebe, e logo os dois estão convivendo e trocando experiências. Aí já sabem né?! Sei que adivinharam. Pois é, os dois se apaixonam. O que acontecerá quando Min Kyu descobrir a verdade? Só assistindo para saber! O enredo é divertido e flui de maneira encantadora, impossível ver o dorama e não se envolver com o "jeitinho" dele de contar sua história, de se desenrolar, até mesmo o drama inserido é bem dosado. Além de que, I Am not a Robot trata de temas complexos com sua própria maneira, um diferencial muito interessante e que merece ser reconhecido, comentarei disto em outro tópico.

Black [K-Drama]


A resenha de hoje é sobre um dos títulos mais diferentes do ano passado, um enredo que pareceu ser uma coisa à primeira vista e na verdade foi outra, mas de forma positiva. Temos aqui uma das tramas mais consideráveis de 2017 e justamente por isso, me senti na obrigação de fazer o meu melhor ao escrever esse post pois Black precisa ser devidamente panfletado.


Sinopse: Uma história sobre um ceifador chamado Black, que toma emprestado o corpo de um ser humano e se apaixona por uma mulher chamada Kang Ha Ram, que pode prever a morte. Juntos, eles vão contra as regras dos céus e lutam para salvar as vidas das pessoas. 
Gênero: Suspense, Thriller, Mistério, Romance, Detetive, Investigação, Fantasia
Nº de Episódios: 18
Ano: 2017
Onde Encontrar: Kingdom Fansubs (download/online), DramasKFan (online), Netflix Brasil (online

- Enredo: Fora clichê, eu tenho um diferencial.

Black conta a história de um ceifador, tudo começa quando um detetive chamado Han Moo Gang que está investigando um caso específico se depara com uma garota com poderes psíquicos chamada Kang Ha Ram, uma vidente que consegue ver quando a pessoa irá morrer. Moo Gang de certo modo se envolve com Ha Ram em alguns assuntos e em meio a tentativa de prevenir os acontecimentos que ela prevê, ele acaba se machucando gravemente a ponto de falecer. Não é spoiler gente, vocês verão isso nos primeiros episódios. Em contrapartida, no "reino" dos ceifadores, um ceifador simplesmente escapa de suas obrigações e outro ceifador denominado 444 fica responsável de encontrá-lo e levá-lo de volta. Depois de outros acontecimentos, o ceifador 444 toma o corpo do Moo Gang decidindo permanecer nele até encontrar o ceifador fugitivo, consequentemente, ele precisa fingir ser esse detetive, e como sua personalidade é totalmente diferente acaba mentindo e dizendo que perdeu a memória. À medida que o Ceifador 444 assume a vida do detetive Han, começa a conviver com as pessoas que trabalhavam com ele, além de familiares e amigos, consequentemente também envolve-se com a Ha Ram. Ela está destinada a evitar as mortes das pessoas e para isso não mede esforços, porém o 444 que agora é o Han Moo Gang ainda é um ceifador e não deve interferir em assuntos humanos, já notaram a confusão né? Pois bem, enquanto Ha Ram faz o possível para salvar quem quer que esteja em perigo, Moo Gang tenta fazê-la desistir para que a vida das pessoas siga o curso destinado.
Pode parecer que Black é simples, um ceifador que envolve-se com uma humana e que provavelmente irá se apaixonar por ela, mas há muuuita coisa nessa história, é tanto desdobramento que o telespectador meio que se perde no enredo. Além de que, o enredo por si só tem uma quantidade considerável de personagens que estão ligados uns aos outros de alguma forma, o mistério se sustenta até o fim e a complexidade da conexão entre os personagens é surreal. Há tempos eu não assistia um dorama com tanta gente interligada uma à outra e por fim, sendo de alguma maneira responsável por um acontecimento único, sendo este o mistério de toda a trama. Porém, este dorama teve um defeito considerável, o qual comentarei no penúltimo tópico desta resenha, no mais, quem curte enredo com uma variedade significativa de gêneros e sendo eles bem inseridos ao longo da trama, além de gostar de um grau complexo de enredo, deveria assistir Black mas preparado para o final - comentarei mais no penúltimo tópico - então, preparem-se meeesmo.


PAUSE: Janeiro


Iniciando um novo ciclo de posts desta categoria, hoje trago a playlist com as canções mais ouvidas mês passado, não deixem de conferir!


1) PEEK-A-BOO - RED VELVET. Então, boatos de que eu não gostava de Red Velvet, porém os mesmos atualmente se provam falsos já que não consigo parar de ouvir este single delas, o grupo passou da quarta posição para a primeira, surpreendente. Vale ressaltar que tudo isso é culpa do Suho.



♫ Meu Deus, é tão louco (meu Deus)
É, eu sou uma garota sentimental
Eu me apaixono tão facilmente
(Sim, sim, sim, sim)
Eu gosto de coisas novas, elas brilham
Todo mundo é assim, não é? ♫

~KPOPANDO: Janeiro


Primeiro ~Kpopando de 2018 no ar! Olha, admito que fiquei um pouco surpresa porque o ano nem começou direito e eu já estou tendo uns surtos musicais, é claro que temos aquelas faixas que causam sonolência (*cof cof * as do station *cof cof*) porém, em pleno janeiro conseguir berrar com single de kpop é algo a se considerar. Então, confiram aí tudo que rolou no kpop no primeiro mês deste ano!


BBOOM BBOOM - MOMOLAND



Começamos com um grupo que até então não conhecia, apesar de que, acho que já ouvi falar destas moças e comentei sobre elas nesta categoria, mas é tanta gente que eu fico meio perdida. :s O fato é que este single é inesperadamente, bom. Além de ser um daqueles kpop estilo eletro~farofa~aegyo (ritmo que acabei de inventar) consegue ter um musicvideo visualmente atrativo, então apertem o play! Vale mesmo a pena conferir!

Topo