30 abril, 2016

~KPOPANDO: Abril


E finalmente as coisas estão se agitando no mundo capopense, acabamos com a maioria dos duetos/singles/ zzzz e os grupos mais amados andam retornando a todo vapor. Ainda não foi O MÊS dos comebacks, mas pelo menos, estamos avançando... O que rolou em abril?! Confiram!


YOU'RE SO FINE- CNBLUE



Iniciamos o mês com o CNBLUE- e cá entre nós - que início mais incrível! PALMAS PARA ESTES MENINOS que conseguiram lançar um single incrivelmente agradável de se ouvir. Eu particularmente gostei demais da canção e mais ainda do musicvideo, no qual TODOS- absolutamente TODOS os boys- estão maravilhosos. Lindos. Gatos. Arrasadores de corações. O que estão esperando? Apertem logo o play!

27 abril, 2016

Splash Splash Love (Mini Drama) [K-Drama]


Após infinitas recomendações, finalmente tomei vergonha na cara e fui conferir um dos mini dramas mais comentados dos últimos tempos (e olha que o protagonista é o meu bias do BEAST, imagina se não fosse - teria demorado mais ainda para ver). Como não amar esta trama e personagens? É praticamente IMPOSSÍVEL! Por isso digo-lhes : pausem a lista doramática de vocês e VÃO CONFERIR:

Splash Splash Love



Sinopse: Dan Bi é uma colegial que odeia matemática, no dia de seu vestibular, ela fica tão perturbada que foge dele em um dia chuvoso. Ao saltar em uma poça d'água, ela viaja no tempo de volta para a Dinastia Joseon, onde é imediatamente detida por guardas do palácio e levada perante o jovem rei Yi Do. Pode uma menina do século 21 ajudar o jovem rei a enfrentar as questões difíceis desse período de tempo?
Gênero: Drama, fantasia, romance, comédia, dorama histórico
Nº de Episódios: 2
Ano: 2015
Onde Encontrar: Viki (online), Banzai Dramas (download)

Está aí um daqueles mini dramas que conseguem em pouquíssimos episódios conquistar definitivamente o telespectador, o que nem sempre dá certo com dramas longos. Splash Splash Love é um daqueles títulos que deveria ser obrigado a estar na lista das doramáticas de plantão, sério gente, é incrivelmente bom. E olha que pra eu fazer resenha surtada assim não é tão fácil (mais fácil eu só surtar pelo ator do que pela trama inteira), porém, SSL conseguiu isso e trago na resenha todos os motivos que fazem desta trama um obra prima que merece ser vista.

- Yoon Doo Joon como O Rei Matemático


Sou suspeita pra falar de qualquer coisa que envolva o BEAST, porém posso afirmar que dessa vez meu surto não é pelo Doo Joon e sim pela trama em questão. Demorei até mais que o normal para conferir o mini drama, o que é estranho sendo que meu bias estava no elenco, e quando finalmente conferi, caí de amores. Doo Joon interpreta o Yi Do, um rei que gosta de matemática e quer adquirir cada vez mais conhecimento sobre o assunto. Ao encontrar a Dan Bi, vê nela a oportunidade de conquistar seu desejo e claro, não perde a chance. Aos poucos, Yi Do vai demonstrando quão engraçado, carismático e maduro é. 

Logo no primeiro episódio eu achava que ele mal pensava em seus subordinados, em seu povo, mas me enganei, com o decorrer da trama torna-se perceptível sua incrível maturidade para lidar com seu reino. Seus momentos com a Dan Bi vão se tornando mais comuns e o rei vai demonstrando quão fofo é. P.S.: Se preparem para se apaixonar por ele. Doo Joon é um ótimo idol ator (isto é fato!), prova disso é sua impecável atuação em Let's Eat, eu nunca deixo de me surpreender com o moço e quero que cada vez mais que ele apareça em kdramas

24 abril, 2016

Eu Estive Aqui - Gayle Forman [Livro]


" Eu Estive Aqui é a mais perfeita mescla de mistério, tragédia e romance. Gayle Forman dá ao leitor um retrato sincero da coragem necessária para continuar vivendo após uma perda devastadora." 
- Stephen Chbosky, autor de As Vantagens de ser Invisível.
Assim como o autor de um dos meus livros preferidos disse, Gayle traz com esta obra um verdadeiro retrato de como é difícil seguir em frente após perder alguém extremamente importante. O mais incrível é a maneira como a autora aborda o tema no livro e se vocês curtem histórias que provocam a curiosidade e ao mesmo tempo causam reflexões, eis aqui uma ótima dica:

Eu Estive Aqui 



Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... 
Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal? 
Título Original: I Was Here
Autor: Gayle Forman
Páginas: 240
Editora: Arqueiro
Ano: 2015

Após Cody descobrir que sua melhor amiga se suicidou, a garota fica desesperada. O que estava acontecendo na vida de sua amiga? Por que Meg não lhe contou nada? Elas não eram melhores amigas, não deveriam contar tudo uma para a outra? O que poderia ter acontecido para Meg decidir acabar som sua própria vida, sem nem ao menos pensar em seus pais, irmão, nela? Lidar com a perda é difícil, ainda mais em uma cidade pequena como a que Cody mora, onde todos se conhecem e passam a supôr o possível motivo para o suicídio de sua melhor amiga. As pessoas apenas fingem ser solidárias, mas na verdade, poucas realmente se importam.

Os pais de Meg pedem para que Cody visite o antigo apartamento da filha em Tacoma, local que ela dividia com alguns amigos enquanto cursava a faculdade, para trazer os pertences que foram deixados lá. Ao organizar as coisas de sua amiga, Cody encontra o notebook de Meg, e ao vasculhá-lo descobre que há uma pasta criptografada. Cody decide então tentar descobrir o que possivelmente Meg estaria escondendo e enquanto faz suas próprias investigações conhece Ben McCallister, um guitarrista com quem sua amiga trocou emails, o que para ela, é mais um mistério. Daí, a protagonista embarca em uma busca por verdade, para descobrir quem realmente era Meg, a garota que pensava ser sua melhor amiga.

20 abril, 2016

Descendants of the Sun [K-Drama]


E um dos maiores sucessos do ano chegou ao fim e eis que em meio a uma depressão pós dorama amado, trago esta resenha com muito carinho. Não é a toa a explosão de sucesso que foi Dots, com um roteiro magnífico e um elenco perfeito seria até uma ofensa se isso não fosse reconhecido.

Descendants of the Sun



Sinopse: Uma história de amor entre o capitão Yoo Shi Jin, que pertence às tropas de paz da ONU, e a doutora Kang Mo Yeon. Devido ao pedido das Nações Unidas, 
eles são alocados na capital de um outro país denominado Urk.
Gênero: Drama, romance, ação, médico
Nº de Episódios: 16
Ano: 2016
Onde Encontrar: Urameshi Downs (download), Meteor Dramas (download),
Viki (online)

É difícil descrever em palavras o quanto surtei, me emocionei, gritei, berrei e amei Descendants of the Sun. Como podem perceber, esse dorama me despertou todos os sentimentos possíveis e olha que há um bom tempo eu não me sentia tão envolvida com uma trama doramática, pelo menos não a ponto de ficar ouvindo a OST e pensando nos personagens. Mesmo ocupada com a correria da vida, eu encontrava uns 15 segundos diários para lembrar dos episódios do drama e ficar remoendo as preocupações. Para tentar organizar as infinitas emoções que Dots me proporcionou farei a resenha por tópicos destacando tudo que eu mais gostei no drama, e preparem-se porque amei tudo então o post será um pouco longo.

- Capitão Yoo Shi Jin (Song Joong Ki)

E o que dizer deste protagonista?! O melhor Capitão da face da Coreia do Sul está aqui. Shi Jin - vulgo: Big Boss - é o chefão de um esquadrão especial denominado Equipe Alpha que pertence à ONU, equipe altamente habilidosa que é enviada para todos os tipos de missões. Desde o início notava-se que o protagonista seria daqueles marcantes, com uma personalidade que não passaria despercebida - o que seria ilógico considerando quem ele era e o que fazia - e com certeza, não passou. Shi Jin é altamente habilidoso como soldado e demonstrou isso em todas as cenas, o cara era tão incrível que chegava a ser quase um super herói - e quem não gostaria deste herói salvando-lhe a vida, não é mesmo?! Após uma confusão na rua que acaba na perda do celular de seu parceiro de time e amigo Dae Yeong, ambos se dirigem a um hospital da região para tentar obter o item roubado, lá, Shi Jin conhece a que se tornaria sua médica particular: Kang Mo Yeon. E este encontro claro, mudaria a vida de ambos definitivamente. A partir daí, temos o nosso primeiro casal formado, e que resultaria em mais e mais cenas emotivas. À medida que a Mo Yeon passa a conhecer o Shi Jin, o telespectador a acompanha, o conhecendo também. E assim o Capitão em muitos momentos exibe seu lado homem normal - homem capitão. O marco do Shi Jin além de sua coragem, é a sua maneira de lidar com as situações de emergência, o cara era simplesmente perfeito. Corajoso, decidido, inteligente e ágil, sempre agindo de acordo com seus princípios, e mesmo tendo que lidar em alguns momentos com ordens não tão aceitáveis de acordo com seu pré julgamento, ele encontrava uma maneira de lidar com tudo e contornar a situação. 

17 abril, 2016

The Walking Dead (4º Temporada) [Série]


Continuando meu vício enoorme por TWD, eis que terminei a quarta temporada e mais uma vez estou aqui para resenhar esta incrível série. Para conferir as resenhas anteriores, clique aqui e já deixo o aviso de que há spoilers para quem nunca assistiu as temporadas anteriores.

The Walking Dead (4º Temporada)



Sinopse: Superando as recentes perdas, os sobreviventes liderados por Rick Grimes continuam com suas vidas na prisão, agora reforçada com a presença dos antigos moradores de Woodbury. Juntos terão que enfrentar uma ameaça maior que os zumbis, incluindo a propagação de uma epidemia mortal que se espalha pela prisão e o retorno do Governador.
Gênero: Drama, ficção, terror, zumbi, thriller
Nº de Episódios: 16
Ano: 2013 -2014
Onde Encontrar: Melhores Torrent Brasil


Estava ansiosa por esta temporada, principalmente pelo fato de que o conflito entre o Governador e Rick seria resolvido. Daí, no primeiro episódio me parece Rick Grimes modo fazendeiro ativado, então imaginem minha reação... Sim. Fiquei meio sem entender. Mas tudo bem, após o choque inicial, voltei a me ambientar no universo de The Walking Dead e sinceramente, não esperava alguns dos desdobramentos que se sucederam. Quando tudo parecia estar indo bem, sem o Governador dar as caras por um tempo, 
o azar persegue o grupo e uma epidemia se espalha pela prisão.



Muitos dos sobreviventes falecem, restando poucos que tentam fortemente resistir à doença. Com a morte de um deles, duas garotinhas acabam se aproximando de Carol que é obrigada a deixar a prisão devido a um ato totalmente inesperado. Enquanto a moça está fora, o Governador retorna (depois de passar um tempo sem rumo andando como mendigo) com um grupo armado, pretendendo acabar com Rick e seus amigos de uma vez por todas. O conflito torna-se inevitável a partir do momento em que o Governador realiza o ato que seria o estopim para a guerra. P.S.: E que ato mais chocante, não? Ainda não superei aquela cena!

13 abril, 2016

Ookami Shoujo to Kuro Ouji [Anime]


Baseado no mangá de mesmo nome (leia aqui), Ookami é o tipo de shoujo que tem uma história simples, porém, mesmo assim, consegue cativar e se tornar queridinho no coração de quem curte este gênero.

Ookami Shoujo to Kuro Ouji



Gênero: Shoujo, romance, comédia
Nº de Episódios: 12
Ano: 2014
Onde encontrar: Sakura Animes (download)
Sinopse: Erika é uma garota que para se aproximar das meninas de sua nova classe mente dizendo ter um namorado. Ela mostra a foto de um cara desconhecido, porém, o garoto foi reconhecido por suas amigas, e o pior, estuda na mesma escola. Kyouya ouve a conversa das três garotas e Erika desesperada decide pedir para que ele finja ser seu namorado, o moço concorda. No entanto, o garoto que Erika pensou ser gentil e agradável, é na verdade, um príncipe negro sempre disposto a chantagear sua falsa namorada.

Esse é um dos poucos casos onde antes de ver o anime eu já lia o mangá, com a versão televisiva Ookami Shoujo se tornou ainda mais popular, e merecidamente. Afinal, é um daqueles poucos shoujos que conseguem manter um ritmo bom e ter uma história simples contada de forma atraente, o gênero não é o meu preferido mas uma vez ou outra, gosto de conferir algo do tipo. Como gosto muito do mangá e o acompanho até hoje, decidi dar uma chance para o anime, e trazer resenha dele para vocês.

Personagens:

Shinohara Erika


No início, achei meio chata a voz da dubladora. Não sei explicar o motivo /rs, mas depois me acostumei. Erika é o tipo de garota que para entrar na turminha da classe faz de tudo, inclusive tirar a foto de um estranho no meio da rua. Após mostrar a fotografia para suas novas amigas, ela descaradamente mente dizendo ser esse o seu querido/perfeito/ namorado. Porém, ela nem sequer imaginava que o rapaz até então desconhecido, era na verdade o Sata Kyouya, um bonitão da escola que foi reconhecido imediatamente por suas amigas. Para manter sua mentira, ela pede que o Kyouya finja ser seu namorado, achando que ele é muito gentil e bom moço, mas na verdade, Sata só concorda para ter alguém para chantagear. A partir daí, começam as aventuras da Erika.



Ela tenta seu máximo para manter as aparências de casal totalmente apaixonado em frente às suas amigas, o que a garota lobo (forma como o Sata a chama) não esperava era que a falsa relação daria lugar para um sentimento verdadeiro. Desde que li o mangá, já considerava a protagonista uma personagem interessante, ás vezes me irritava com ela (tipo, quando fazia algo que eu achava desnecessário) mas no geral, é engraçada e fofa, principalmente quando se tratava de tentar conquistar seu falso/possível verdadeiro/ namorado. Ao decorrer dos episódios, Erika tenta seu máximo para conseguir seu espaço no coração do Kyouya, recebendo até ajuda de um amigo dele chamado Takeru, os dois montavam planos e tudo mais, o que era bem engraçado.


09 abril, 2016

PAUSE: Março


E quais foram as canções de março? Agora vocês saberão! A PAUSE está um pouco atrasada comparada aos meses anteriores em que era postada logo nos primeiríssimos dias do mês, mas o que vale, é que finalmente ela saiu né?! ^^
Não deixem de conferir a lista da Jusley do blog Louca por Viver!


1) A primeira canção é uma que anda marcando presença aqui desde que eu conferi To be Continued (mini drama com o grupo ASTRO), já sabem da qual estou falando né? Isso mesmo. The Manual é na verdade uma canção do Eddy Kim (clique aqui e confira) mas o San Ha e seu cover me conquistaram. 



♫ De vez em quando, a deixe sozinha, não planeje nada.
Um céu diferente, um vento diferente, deixe-a respirar...
De vez em quando, a beije violentamente...
Como no dia em que vocês se apaixonaram sem razão...

03 abril, 2016

Cheese in the Trap [K-Drama]


E após adiar por semanas (tanto por estar sem tempo, quanto por causa do medo de assistir ao último episódio e acabar decepcionada) finalmente tomei vergonha na cara e decidi conferir um dos doramas mais comentados do ano, aliás, na verdade, um dos finais mais comentados do ano até agora, aquele do tipo que repercute dividindo opiniões dos telespectadores em geral...

Cheese in the Trap


Sinopse: Hong Seol é uma estudante trabalhadora, que acaba de retornar para a faculdade depois de uma longa pausa. Lá, conhece o misterioso Yoo Jung, apesar de parecer tranquilo, ele aparenta ser perigoso. O que acontecerá quando os dois começarem a se envolver?
Gênero: Drama, romance, psicológico
Nº de Episódios: 16
Ano: 2016
Onde Encontrar: Fighting Fansub (download), DramaFever (online), Subarashiis Fansubs (download)

Então, como tenho muita coisa para comentar optei por dividir a resenha em tópicos, assim abordarei alguns personagens que para mim foram mais marcantes, e também trarei ressalvas sobre o enredo, e claro, o tão famoso/polêmico final.

- O misterioso Yoo Jung (Park Hae Jin)

O protagonista da trama foi um verdadeiro mistério que custou a ser totalmente desvendado e quando finalmente aconteceu de entendermos quem era o Yoo Jung, tudo ficou mais compreensível, pelo menos, em partes. Yoo Jung de início é todo fechado e frio, à medida que começa a "perseguir" a Seol (falarei da moça mais adiante) começa um período de aprendizagem. O que ficou claro na trama é que ao mesmo tempo em que ele se aproxima da Seol, nutrindo sentimentos, passa a perceber mais sobre si mesmo. Detalhes que ele estava deixando passar despercebido, ou na verdade, simplesmente ignorava. Eu realmente fiquei fascinada com o Yoo Jung, o mistério em torno do personagem manteve minha atenção, eu queria realmente entender o porquê dele oscilar tanto entre uma pessoa calorosa e outra totalmente fria como um cubo de gelo. Digo-lhes que ele realmente soube manter uma linha de personalidade objetiva e própria/original.
O Hae Jin contribui muito para isso, afinal os olhares que mandava em cena e sua maneira de se comportar foram tão reais que eu simplesmente, fiquei mais encantada. Yoo Jung foi um dos protagonistas mais diferentes que já vi em doramas, não é o típico mocinho brincalhão/CEO/bobinho/certinho demais/ ou qualquer personalidade mesmice que queira acrescentar aqui. Ele foi simplesmente único, e era esta a intenção, pois Yoo Jung era algo mais, não apenas o que aparentava mas alguém mais complexo, com dificuldades, com problemas, porém não tão normais como outros, não posso abordar muito para assim evitar possíveis spoilers! Para entendê-lo melhor só conferindo o dorama! /haha.

Compartilhe