14 novembro, 2015

Blackbird: A Fuga - Anna Carey [Livro]


Um daqueles livros que já nas primeiras páginas consegue instigar sua curiosidade, resultando em uma vontade louca de terminá-lo para solucionar todos os mistérios que rondam a trama. Anna Carey apresenta um cenário simples mas que consegue brilhantemente empolgar e prender o leitor até a última página.

Blackbird : A Fuga



Uma garota acorda nos trilhos do metrô de Los Angeles sem lembrar quem é. Há uma mochila a seus pés contendo umas roupas, mil dólares em espécie, um número de telefone e a instrução “Não ligue para a polícia”. Perguntas rodopiam em sua cabeça: Quem é ela? Como chegou ali? O que ela fez? O que significa a tatuagem de um pássaro e o código FNV02198 em seu pulso? Ela mal tem tempo para descobrir sua identidade, e logo percebe que está sendo caçada. Precisa fugir desesperadamente. Não sabe quem são eles, não sabe em quem confiar. Só há uma coisa que sabe com certeza: estão tentando matá-la. Primeiro livro do dueto Blackbird.

Título: Blackbird: A Fuga
Autora: Anna Carey
Páginas: 230
Ano: 2015
Editora: V & R

Após a sinopse tive a certeza de que deveria dar uma chance a esta trama. Não sei vocês mas histórias com certos mistérios, praticamente (sempre) conquistam lugar na minha lista de leituras. Eis que fuçando site sobre livros, encontro este e adivinhem? Fui correndo ler. Não conhecia a autora, procurando mais sobre a mesma, descobri que possui uma trilogia famosa denominada Eva (pretendo ler futuramente, haha) e que este ano retornou com mais um livro (na verdade, dueto) para alegrar seus fãs. Pois bem, se você assim como eu, nem sequer sabia da existência da Srtª Anna Carey, aviso-lhes que esta moça conseguiu me cativar com sua nova obra e que este livro realmente merece ser lido.

Ao acordar no trilho do metrô de Los Angeles, nossa querida protagonista não lembra de absolutamente nada, não sabe quem é, de onde veio ou sequer o motivo de estar naquele local. A única coisa da qual tem certeza é de que não deve chamar a polícia, informação lhe dada por um bilhete que estava em sua mochila, é simples porém, clara. Sem saber o que fazer e em estado praticamente de pânico, ao perceber olhares curiosos sobre si, decide correr e tentar ficar o mais longe possível da atenção de quem quer que seja.


Em seu caminho, percebe que está sendo perseguida e ao fugir, esbarra (literalmente) em um garoto chamado Ben, o qual vendo o estado em que a moça se encontra, lhe dá um pequeno papel com seu número de telefone, dizendo que caso precise de ajuda, deveria ligar. Mesmo desconfiada, aceita a cortesia, guarda o papel em seu bolso e segue em frente. Mas para onde poderia ir? Quem está lhe perseguindo? Por que não pode chamar a polícia? Com tantas questões na cabeça e poucas respostas, chega um determinado momento em que decide pedir ajuda. 

Ben acaba acolhendo-a em seu apartamento, o garoto parece inofensivo (apesar de vender drogas, rsrs) e por precisar de um certo "apoio", Sunny (nome o qual escolheu temporariamente, pois nem sequer isso lembra) não tem escolha e permanece ali. Porém, Sunny começa a ter vislumbres de sua vida, e com as poucas memórias que vai conseguindo, decide começar a investigar mais sobre si mesma. Aos poucos, começa a juntar as peças e perceber que tudo se trata de uma caçada. Mas qual o motivo disso? Por que ela foi escolhida? Quem são as pessoas que estão atrás dela? 

Com uma narrativa em segunda pessoa, utilizando "você" a todo tempo, Anna Carey faz com que o leitor se sinta no lugar de Sunny, todas as confusões em sua cabeça, perguntas, temores. Tudo, é transmitido de forma única e incrivelmente interessante, personagens inseridos ao decorrer dos acontecimentos conseguem te fazer sentir que possuem importância na trama e não estão ali apenas para aumentar o número de "pessoas" na história. Com isso, Blackbird consegue montar um cenário instigante e impossível de se abandonar até que você consiga descobrir o que realmente está por trás dos panos.

Frases:

" Você nunca se decepciona quando não espera nada de ninguém!"

" Estou começando a achar que tem gente que gosta de enfrentar as coisas e falar sobre elas até cansar, e pessoas que não falam nada e simplesmente desejam que tudo desapareça!"

Não comentarei mais nada porque senão perde a graça, recomendo este livro para quem curte uma boa história, onde para descobrir o que está acontecendo, precisa-se montar um quebra- cabeça junto com a protagonista. 
Mês que vem tem resenha do segundo (e último) livro desta duologia.
Aguardem (curiosos, haha) !

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião também é importante. Comente! (:

Compartilhe