Menu

The K2 [K-Drama]


Como não poderia faltar, eis que hoje trago resenha do recente trabalho do querido Ji Chang Wook (o querido de Healer - tô devendo essa resenha né?!), o qual mais uma vez provou seu talento e habilidade como ator. Ao lado da Yoona -garota do lion heart-, Chang Wook encenou um dos dramas mais comentados da temporada anterior. Vamos lá, trocar opiniões sobre mais um dorama? Let's Go! (Como diria a Solar - Leg'go!)

The K2



Sinopse: Kim Je-Ha é um ex-soldado, também chamado de K2. Ele é contratado como guarda-costas por Choi Yoo-Jin. Yoo Jin é a esposa de um aspirante a presidente e a filha de uma família rica. Enquanto isso, Go Anna é a filha secreta do candidato presidencial. 
Gênero: Ação, Drama, Romance, Thriller, Política
Nº de Episódios: 16
Ano: 2016
Onde Encontrar: Kingdom Fansubs (download), DramaFever (online)

- Enredo

Como diz na sinopse acima, Kim Je Ha é um ex-soldado que após determinado acontecimento retorna à Coreia do Sul. Seu retorno muda sua vida, ao testemunhar um certo evento, é contratado pela esposa do candidato à presidência, Choi Yoo Jin. Recém-contratado como guarda-costas, Je Ha recebe uma nova vida, em troca de uma oportunidade para vingar-se do responsável por sua saída forçada do exército. Ambos criam uma parceria buscando benefícios para ambos os lados, sendo que isto só acontece após inúmeros eventos que colocam Yoo Jin contra à parede e provam o valor do Kim Je Ha. Ao enxergar a vantagem em tê-lo ao seu lado, Choi Yoo Jin o contrata e o ordena que proteja a filha de seu marido, Go Anna. Anna é obrigada a viver escondendo sua identidade, pois o candidato à presidência Jang Se Joon, não pode se dar ao luxo de um escândalo desses em plena campanha eleitoral. Afinal, ele tem escondido o fato de ter uma filha por anos, e Choi Yoo Jin soube utilizar deste fato para mantê-lo completamente em mãos. Com todo seu poder e influência, Choi Yoo Jin apoia o marido e pretende fazê-lo dele o próximo presidente da Coreia do Sul, independentemente de quem esteja em seu caminho, ela não desistirá de obter o poder de uma primeira-dama, sendo assim, precisa do Jang Se Joon, assim como ele precisa dela. A relação entre os dois é um dos pontos mais importantes da trama, pois mostra como um casal pode construir-se tendo como base uma forte ambição. No meio de tudo isso, Kim Je Ha é inserido, o guarda-costas tem inicialmente um objetivo e ao aproximar-se da Anna, encontra uma outra razão para continuar em seu trabalho.
The K2 é um dorama onde o tema principal é a luta presidencial entre Jang Se Joon e Park Gwan Soo, e ao invés de ser um enredo apenas sobre política, consegue inserir ação e conflitos em toda a sua trama. É uma verdadeira guerra sobre influência e poder, o que garante um ritmo excelente, com muita ação, pancadaria e tretas. Há também doses de comédia, drama e romance, as quais foram inseridas de maneira satisfatória. É um dorama que consegue manter-se interessante do início ao fim, com personagens bem elaborados e um sólido enredo.

- Personagens

Kim Je Ha - K2 - O Guarda-Costas (Ji Chang Wook)

O protagonista é um ex-soldado que após determinados acontecimentos precisa fugir e esconder sua identidade. Na Espanha vive escondido, fugindo da polícia internacional, até que determinado dia encontra uma garota coreana no metrô, a qual pede desesperadamente sua ajuda. Je Ha tenta não se envolver na situação, porém com a insistência da moça acaba ajudando-a até certo ponto. Quando percebe que não pode fazer mais nada, apenas desiste. Anos depois, retorna à Coreia do Sul e decide viver na clandestinidade, sem qualquer emprego fixo ou algo que lhe exija apresentar seu RG.
Trabalhando como encarregado em conserto de banners colocados em altos prédios, determinado dia sua função é necessária, o que ele não imaginava era que neste mesmo dia, seria obrigado a mostrar quão bom lutador era. Por ter visto algo que não deveria, o moço acaba sendo caçado pelos empregados da JSS, uma empresa de segurança que serve à Srª Choi Yoo Jin. Entretanto, Yoo Jin estava enganada ao pensar que poderia lidar com ele da forma que quisesse, o moço a encontra e a ameaça, e inesperadamente reencontra também a Srtª que desistiu de ajudar anos atrás, Go Anna.
Este reencontro mudaria sua vida de várias formas. A partir daí, Choi Yoo Jin contrata Kim Je Ha devido ao seu potencial como mercenário e uma de suas funções é ser o guarda-costas de Anna, impedindo que os inimigos de seu marido, o candidato presidencial Jang Se Joon, descubram a existência da garota. Kim Je Ha foi aquele protagonista forte, bom lutador e lindo, - o que me fez lembrar do nosso querido Big Boss (Descendants of the Sun) - o qual conseguiu conquistar o coração dos telespectadores sem qualquer esforço.
Também sendo o Ji Chang Wook o ator, seria impossível não cair de amores pelo personagem né?! Je Ha tem uma história triste, a qual guarda dentro de si e apenas alguns episódios depois conhecemos, entendendo assim, todas as razões que o fizeram se tornar um mercenário anos atrás, e fugir da polícia. O personagem era surpreendentemente determinado, com uma personalidade forte e destemida, medo não existia em seu vocabulário.
O mais interessante é que ao conhecer a Anna e envolver-se com ela, o telespectador pôde conferir um lado mais doce do rapaz, o qual até então era desconhecido. O que o amor não faz hein?! Com a Anna, Je Ha mostrou que era protetor, carinhoso e atrapalhado quando o assunto era romance. Eu amava a maneira como ele ficava nervosinho em certos momentos. Justamente por estes fatos, Je Ha tornou-se um dos meus personagens queridinhos do ano, impossível não querer um guarda-costas desse né?!
~Até com a cara arrebentada é lindo ~

Choi Yoo Jin - A Poderosa (Song Yoon Ah)

E sem dúvidas, a personagem feminina mais marcante deste dorama não foi a Anna - a qual deveria ser sendo que era a protagonista, par romântico do Je Ha - e sim Choi Yoo Jin. A poderosa é filha de uma família rica e herdeira de um grande grupo - um praticamente conglomerado - e além disso, casou-se com o Jang Se Joon para ajudá-lo a seguir na carreira política. É visível que Choi Yoo Jin possui sentimentos verdadeiros pelo Se Joon, o qual nunca a viu da mesma forma e apenas casou-se com ela pela influência e apoio que a mesma poderia dar-lhe. Seu relacionamento com a Anna também não é bom, afinal Yoo Jin a afastou do pai por anos, fazendo-a viver na Espanha. Anna também desconfia que a responsável pela morte da mãe seja sua madrasta e por este motivo, pretende vingar-se dela, provando a bruxa que é. Com a enteada inimiga e o marido que só lhe considera devido ao poder que tem, podemos perceber quão infeliz Yoo Jin é, entretanto, a mesma não se deixa abalar, afinal, seu amor maior é o poder que conseguirá ao ser primeira-dama. Choi Yoo Jin foi uma personagem complexa, suas emoções reais eram sempre contidas, ela segurava o que estava sentindo tentando o máximo para disfarçar suas dores, só queria mostrar seu lado forte e poderoso. O tipo de pessoa que acha que mostrar fraqueza é desprezível, ela realmente não descia do salto.
E sério gente, mesmo ela cometendo erros, sendo má, às vezes, não a odiei, afinal, sua classe, postura de mulher determinada, influente e poderosa eram admiráveis. É claro que era impossível não sentir certa raiva e desprezo por algumas de suas ações, entretanto, a personagem foi tão bem construída e humana, que me apaguei à ela, tentando compreender seu lado. A história da Choi Yoo Jin é pincelada nos episódios finais, e foi possível entender um pouco do porquê ela se tornou tão ambiciosa, é claro que nada justifica certas ações futuras dela, porém, poder ter este tipo de conhecimento da personagem, seu passado e como isso a afetou, fez com que o telespectador enxergasse a Yoo Jin por completo, sendo este um dos pontos mais positivos do enredo. E quem merece todo o crédito também é a atriz Song Yoon Ah, a qual soube perfeitamente transmitir a complexidade da personagem, seu olhar carregado de dor, raiva e ganância. A mulher deu um show de atuação!

Go Anna - A Ingênua! (Yoona - SNSD)

Enquanto que Choi Yoo Jin teve uma presença forte, Anna conseguiu ser apenas um adicional. Entendo que a garota tinha seus traumas, após perder a mãe e ser obrigada a viver longe de seu único familiar, seu pai, em um país estrangeiro, seria estranho se não adquirisse algum problema "psicológico". Entretanto, Anna passou o dorama inteiro chorando, e após conhecer o Je Ha tornou-se totalmente dependente dele, o que me deixou mais irritada ainda. Talvez a proposta dos roteiristas para com a personagem tenha sido exatamente esta, fazer dela uma donzela em perigo que dependia totalmente e exclusivamente do guarda-costas. Porém, sinceramente, detesto este tipo de personagem. Por que raios a mulher precisa ser tão dependente assim?! Fiquei o dorama INTEIRO esperando que a Anna assumisse as rédeas de sua vida e pisasse na Choi Yoo Jin e no idiota do próprio pai, a moça conseguiu sentir tristeza mas a raiva e revolta que deveria sentir não deram o ar da graça. Não estou dizendo que ela deveria tacar fogo nos dois, atirar, matá-los - se bem que seria legal! Lado mau da blogueira aparecendo! Muahaha' - só queria que ela se mostrasse mais determinada e provasse seu valor como mulher e filha.
Com todo o sofrimento que passou na infância era esperado que a moça amadurecesse e enxergasse o mundo cruel que lhe tirou sua mãe, o mundo que lhe excluiu, mas ela não amadurecera a esse ponto. Anna ficou presa em uma ingenuidade infantil, talvez esta tenha sido a forma dela proteger seu psicológico, seu emocional desgastado com o trauma da infância, mas admito que esperei muito mais da personagem. Sua única característica marcante, na minha opinião, era seu lado doce e inocente, que funcionava perfeitamente no quesito romance, sendo algo que conquistou o Je Ha justamente por ser um diferencial na vida dele. Afinal, o moço marcado por tragédias precisava de alguém que lhe mostrasse que ainda havia sentimentos bons no mundo. Yoona atuou bem nas cenas dramáticas e justamente por isto, me agradou como atriz. No geral, como este foi o primeiro dorama que vi com a moça, - ainda não conferi Love Rain -  não posso dizer se ela é uma idol atriz excelente, porém, pelo menos neste dorama, conseguiu me convencer.

Jang Se Joon - Pai ou Político?! (Jo Sung Ha)

E o personagem que eu mais detestei e quis dar umas voadoras foi este aqui. Jang Se Joon é o candidato à presidência, casado com a Choi Yoo Jin e pai da Anna, possuidor de uma ambição sem freios. Justamente por sua vontade de se tornar o presidente, de ter poder e influência, casou com a Yoo Jin, e renegou a própria filha, nunca tendo visitado-a na Espanha. Tudo começou com essa sua ambição de se tornar o dono da Casa Azul - versão coreana da Casa Branca - e posteriormente, ele diz a si mesmo que precisa continuar nesta guerra política para proteger a Anna das garras da Choi Yoo Jin, o que não me convenceu.
Tentei entender ao máximo o personagem, suas ações e o porquê de ser um péssimo pai mas, para mim, nada justificava o abandono descarado dele para com a filha. Jang Se Joon foi um dos piores pais que já vi, não tomava uma atitude adequada com relação à filha, e não a considerava a ponto de largar o possível poder, sua ambição era mais preciosa, e desejada do que qualquer outra coisa, mais até do que a Anna. Por este motivo, detestei o personagem, e mesmo quando raramente aparentava se preocupar com a Anna, não conseguia deixar de odiá-lo. Ser um pai covarde assim é totalmente desprezível!

- Personagens Secundários divertidos:

Vale mencionar os personagens que trouxeram aquela dose de comédia leve ao dorama, como exemplo: a louca e carismática da Mi Ran (Lee Ye Eun) que inicialmente ficava tendo uns ataques e surtos pelo Je Ha - e eu a acompanhava nisso! - e posteriormente descobriu o amor ao lado do bobo do Lee Sung Kyoo (Lee Jae Woo). Ah! A ahjumma fofa e leal que tomava conta da Anna quando ela se estabeleceu na Coreia do Sul merece a menção também! Este trio acabou se aproximando da Anna e tornando-se o mais perto de uma família que ela poderia ter, justamente por isto, gostei muito dos personagens.

- Personagens Secundários que eu queria esganar!

Chefe Kim (Shin Dong Min)


A Chefe Kim é o braço direito da Choi Yoo Jin, sendo capaz de qualquer coisa para protegê-la e ajudá-la a conquistar seu objetivo. O que me chateou foi que os roteiristas falharam em deixar claro o porquê de toda a devoção dela para com a Yoo Jin, é claro que fica meio subentendido - eu mesma, sinceramente, acho que a moça aqui era apaixonada pela Yoo Jin, será que era isso mesmo? Esta era a minha impressão da personagem entendem?! - e com certas ações da Chefe Kim, tudo ficava um pouco mais claro. Porém, acho que apenas uma cena esclarecendo o passado existente entre as duas seria suficiente e interessante para esclarecer de maneira mais consistente a relação futura desenvolvida por elas.

Insuportável Park Kwan Soo (Kim Kap Su)

Park Kwan Soo é o rival do Jang Se Joon, o qual também utiliza meios não corretos para conseguir influência e poder na disputa eleitoral. O personagem é chato e típico vilão político, o mais interessante foi sua ligação com o Je Ha, a qual nos proporcionou cenas emocionantes de altas tretas... No geral, detestei essa criatura e entendi que ele estava ali para dar um gás no enredo, o que serviu bem mas não me impediu de achá-lo um insuportável!

Falso Choi Seong Won (Lee Jung Jin)

Choi Seong Won é irmão por parte de pai da Choi Yoo Jin, o qual tenta de todas as maneiras possíveis livrar-se da influência da irmã, tentando encontrar alguma forma de passar-lhe a perna e conseguir as ações dela que o fariam se tornar o único herdeiro do conglomerado do pai. De todos os personagens foi, sem dúvidas, o mais falso, mostrando o caráter que lhe era oportuno, diante de quem precisasse convencer. Quando precisava ser um "bom tio" para a Anna, lá estava ele e caso precisasse fingir devoção à Yoo Jin, também marcava presença. Isso tudo só concluiu suas duas caras e o quanto era ambicioso também, assim como sua irmã.

- Romance sem igual!

Kim Je Ha + Anna

Apesar de achar a Anna totalmente dependente do Je Ha, sendo inteiramente algo que ele precisava sustentar, ficou visível também que ele tornara-se um porto seguro para a moça. É justamente por isto que comecei a shippar o casal. O primeiro encontro deles foi estranho, sendo que a moça estava fugindo dos capangas que lhe observavam para mantê-la na Espanha e tudo que ela queria era fugir para encontrar o pai. No meio disso tudo, ela encontra o Je Ha, e mesmo ele ajudando-a por um tempo, a moça acaba sendo capturada e levada de volta.
Anos depois, eles se reencontram novamente em outra situação inesperada, na qual o Kim Je Ha ameaça a Choi Yoo Jin - e que cena incrível foi essa?! - e a Anna pede para que ele acabe com sua inimiga declarada. A situação se resolve e Je Ha torna-se o guarda-costas da garota, a qual tem vivido escondida da sociedade e de todos que o cercam. Até que Je Ha aproxima-se aos poucos e torna-se um apoio, seu porto seguro, o qual Anna sempre ansiou desde que seu pai lhe deixara. Era disso que ela precisava, de alguém que a fizesse esquecer seus medos, de alguém que ela sabia ser forte o suficiente para protegê-la, alguém que lhe daria uma segurança a qual nunca sentiu, pois desde a morte da mãe sentia-se deixada de lado, insegura e solitária.
Esta foi a característica principal do casal, e por causa dela gostei de vê-los juntos, apesar de concordar que a Anna poderia ter sido um par romântico melhor para o Je Ha em vários aspectos. Sendo a Anna tão ingênua e inocente mesmo depois de tudo que passou, - ás vezes, irritantemente boba, como exemplo, na relação com seu tio - quem precisou manter o olho aberto foi o desconfiado e inteligente Je Ha. Porém, esta personalidade da moça também despertou um lado do Je Ha que até então desconhecíamos, o qual só vimos quando ele se tornou um rapaz apaixonado.

A química entre ambos foi boa - principalmente os beijos haha'  Yoona espertinha!- e me convenceu. Mas também sendo o Ji Chang Wook o moço da relação era burrice não aproveitar a oportunidade... No geral, shippei muito o casal e torci para que ganhassem um final feliz, ambos mereciam pois já haviam sofrido muito durante a vida.

Kim Je Ha + Choi Yoo Jin


Outro possível casal que despertou a curiosidade e algumas torcidas dos dorameiros de plantão foi este aqui. Confesso que não cheguei a torcer pelos dois mas era impossível não enxergar a atração física que pairava no ar quando a Yoo Jin estava com o Je Ha. Também com o corpo malhado do Chang Wook, -  que abs perfeito! <3 - quem não se derretesse estaria com sérios problemas mentais. Aos poucos, Yoo Jin demonstra uma certa preocupação com o Je Ha, e mesmo que ela não tenha realmente amado-o ou apaixonado-se loucamente por ele, ficou evidente de que algo ela sentia. Quem shippou esse casal deve ter sofrido um pouco ao vê-lo com a Anna né?!

- Participação Especial

Não poderia deixar de mencionar o espaço que a tvN deu para a atriz ocidental, Allen Carson. Allen interpreta Raniya, uma refugiada que exerceu uma função importante no passado do Je Ha, influenciando seu futuro. Gostei muito de ver uma ocidental com um maior espaço na teledramaturgia coreana e espero que isto ocorra mais vezes. Ocidentais tendo vez na Coreia do Sul! Haha'

- Considerações Finais

Relação Choi Yoo Jin & Anna


É totalmente compreensível a rivalidade entre ambas, afinal Yoo Jin tornara-se a madrasta que afasta a filha do pai, e Anna tornou-se a enteada que comprova a existência de uma ex mais amada e querida por seu marido. Como mencionei anteriormente, esperei o dorama inteiro a Anna assumir as rédeas da situação e lidar com a Choi Yoo Jin por si mesma e não apenas depender do Kim Je Ha. Então como ela basicamente não o fez, senti que esta relação não foi tão bem abordada quanto deveria. Entretanto, no último episódio entendi a proposta da "rivalidade" em si, e ambos os lados da situação, o que não inocenta a Yoo Jin mas lhe 
garantiu um entendimento melhor do seu modo de tratar a Anna.

Relação Choi Yoo Jin & Jang Se Joon

Tá pra nascer casal mais falso que esse!! A relação dos dois era pura ambição, influência e poder, se uniram porque juntos conquistariam as posições mais poderosas do país, as quais sempre desejaram. E mesmo ficando claro que a Yoo Jin nutria outros tipos de sentimentos pelo Se Joon, ela não se deixava dominar por isto e decidia focar em seus objetivos. Eu ficava chocada com a encenação dos dois, um bom marido e uma excelente esposa que viviam felizes, se amavam e juntos queriam a presidência do país. Porém, a verdade era outra muito diferente, havia ambição, necessidade e ganância, sendo assim, era impossível os dois serem felizes juntos. Gostei muito de como os roteiristas foram utilizando esse elemento no enredo e da química tensa e convincente dos dois atores, o que deu um ar de realidade muito maior!

MELHOR CENA!!!

Eu não poderia deixar de agradecer à tvN pela maravilhosa cena de luta no banho, afinal ver o Ji Chang Wook todo lindo - mostrando o abs -  lutando no chuveiro foi enlouquecedor! Sei que vocês queriam que a tvN mostrasse muito mais, mas geeente, lembrem que dorama é inocência e pureza viu?! Haha'

É claro que todas as outras cenas de ação foram muito bem encenadas e isto se tornou um dos pontos mais fortes do kdrama. Quem curte doramas com muita ação, luta, pancadaria, paranauê e etc, irá amar The K2!

- Último Episódio: Palmas!

Ao contrário do final de Moon Lovers: Scarlet Heart Ryeo que me deixou em um sério estágio de tratamento psicológico, no qual tento superar todos os dias aquele fim... O de The K2 foi satisfatório. No geral, o telespectador teve a pitada de ação costumeira do dorama, as tretas políticas que eram o tema central e claro, aquela atração física e o romance bobo. Os fins dos personagens foram justos - apenas um que eu queria que morresse não recebeu necessariamente esse fim, que pena! - e as pontas soltas foram quase todas amarradas. Admito que algumas poderiam ter sido melhor trabalhadas na reta final, mas como o tempo era curto, o modo como resolveram tudo não prejudicou o fim em si. A revelação final sobre o evento do passado da Anna também foi interessante e mesmo eu já desconfiando de determinado personagem, ainda achei inteligente como o utilizaram para ser o elemento surpresa. Enfim, o final foi satisfatório e podem assistir sem medo!

- OST

Confesso que a OST em si não me agradou tanto e apenas uma canção realmente me cativou a ponto de entrar na minha playlist, confira abaixo qual:

Today - Kim Bo Hyung (SPICA)



Amazing Grace - Yoona - Não poderia deixar de mencionar a canção a qual Yoona canta em determinado momento da trama. A cena e o contexto da mesma foi lindo, além de que, a voz da moça ficou muito linda nesta canção.



Finalizando: The K2 é um dorama com altas tretas políticas, recheado de ação e doses leves de comédia com pitadas de romance doce. Possuiu um ritmo muito bom e é recomendável para quem ama doramas de ação, com enredo sólido e atuações convincentes. Com protagonista - lindo Ji Chang Wook <3 - determinado, forte e inteligente, e uma "vilã" no papel de mulher poderosa, a qual nem sempre vemos em kdramas. Para quem é fã da Yoona do Girl's Generation é uma boa opção conferir este título pois a idol atriz conseguiu convencer atuando - apesar de sua personagem ser quase sempre uma chorona chatinha. E vale lembrar que temos um final satisfatório e digno, o qual não te fará precisar de um tratamento psicológico para superação. Enfim, a maior motivação que posso dar é a presença do Ji Chang Wook, se isso não for suficiente, não sei mais o que dizer! Hahaha'

- Encerro com o gif arrasador do abs do ~oppa -

2 comentários

  1. Menina! Que resenha bem feita! Adoro ler seus posts!
    No geral, eu gostei do drama. Tem muita coisa boa. Mas também tem que coisa que eu não gostei tanto assim. Apesar das cenas de luta serem super bem feitas, o K2 não era um super-homem. O cara apanhava, apanhava, apanhava e sempre tinha forças para se levantar. Se fosse uma pessoa na vida real (mesmo sendo um excelente lutador), já tinha caído no chão com a primeira bancada na cabeça. E não foi em uma cena só, foram em várias. Desse exagero, eu não gostei muito. Mas não posso deixar elogiar as cenas de ação e a perseguição de carro nos primeiros episódios. Foram de tirar o fôlego!
    Também elogio a interpretação da madame. Acho que em alguns episódios que eu considero mais 'fracos', foi a melhor coisa que 'The K2' tinha para oferecer.
    Assim como você, senti falta de uma personalidade mais forte para Anna. Tudo bem que a menina ficou presa em um convento por muito tempo e sofreu muito com o trauma de infância, mas ser boba a ponto de acreditar cegamente no tio, não dá. Mesmo quando o tio disse para ela não contar o plano deles para o K2 (que era a pessoa que ela confiava e amava), ela deveria ter desconfiado dele. Faltou atitude. Mas eu gostei da interpretação da Yoona. Não foi culpa da atriz e sim do roteirista que criou essa personagem. A cantora só cumpriu o papel, e eu achei que ela se saiu muito bem. (Também não vi 'Love Rain', mas assisti 'Prime Minister and I' com ela. E é muito legal! Ela soube passar alegria e emoção em várias cenas. Recomendo que você assista.)
    Se prestássemos atenção em um diálogo que ocorreu enquanto a madame estava internada, saberíamos quem era o assassino. Kkk Também adivinhei! Mas não me lembro que fim ele levou na história. Achei que ficou faltando um final para ele.
    E a 'fã número 1 da madame' se saiu muito bem para tanta maldade que fez! Que raiva que eu tive dela! Na minha opinião, chegou a ser pior que o pai da Anna. Ela se achava superior aos outros empregados só porque era o braço direito da madame, mas esta a tratava como bem queria. Poderiam ao menos tê-la deixado manca e com uma bengala, já que ela levou um tiro na perna. Mas perfeita e linda, ela não deveria ficar! Meu, ela tentou matar a Anna e o K2 e nem desculpas pediu! É um absurdo que tenha tido um fim tão bom! Kkkk
    Bem... acho que é isso! Peço desculpas por não comentar no blog, já que muitos dos dramas que você faz a resenha, eu não assisti ainda. Mas tenha certeza que estou aqui toda semana e continuarei te acompanhando sempre, tá?
    Beijo e obrigada pela resenha,
    Mari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Menina! Que resenha bem feita! Adoro ler seus posts! " Aaaah, que fofa! Obrigada pelo carinho e apoio, isso me incentiva mais a escrever outros posts! <3
      Concordo contigo nessa parte, às vezes parecia que o K2 tinha umas 7 vidas, afinal ele apanhava inúmeras vezes e ficava de pé, supeeer de boa. Huhaushaa Esse exagero foi chato mesmo! Ah! Essas cenas no carro foram incríveis mesmo, a pessoa ficava sem saber se respirava ou prestava atenção! kkk
      Anna foi uma personagem chata nesse aspecto, sendo tão dependente do K2. Nas cenas dramáticas, a Yoona me convenceu então acho que futuramente darei uma chance a outros doramas que ela fez. Como exemplo Love Rain e este que tu me recomendou: Prime Minester and I.
      Ficou faltando esse final pra ele mesmo. O que seria interessante de ver né?!
      Pior que é! Ela se achava A CHEFONA, menina ela se achava tanto que o telespectador ficava querendo esganá-la. Hhaushausa
      Não precisa pedir desculpas não, moça! Só de saber que você sempre está aqui acompanhando o blog e tratando-o com tanto carinho me deixa muito feliz. E saiba que pode sentir-se à vontade, sempre que quiser comentar, pode fazê-lo. Amo poder trocar opiniões com os leitores dorameiros do blog, afinal este é um dos motivos por eu estar tentando mantê-lo sempre atualizado. Obrigada mesmo pelo apoio e carinho! Ah! E também pelo comentário!
      Volte sempre! <33 Beijão

      Excluir

Sua opinião também é importante. Comente! (:

Topo