27 outubro, 2016

Lucky Romance [K-Drama]


Se formos citar os doramas mais cativantes do ano, este aqui, com certeza, merece estar na lista. Já posso afirmar que este título é uma das melhores comédias românticas de 2016, afinal, o mesmo conseguiu me envolver totalmente, mais até do que Beautiful Gong Shim, acreditam?!

Lucky Romance



Sinopse: O que é uma sentença de morte bizarra? Shim Bo Nui é muito supersticiosa e leva tudo o que os adivinhos dizem a ela como evangelho buscando qualquer maneira para tirar sua má sorte. Ela acredita que sua irmã que se encontra em coma está assim por sua causa e na busca de fazer com que ela acorde, Bo Nui decidi ir à um cartomante. Ele diz que, menos que ela durma com um virgem do sexo masculino que tenha nascido em 1986 (o ano do tigre), sua irmã não acordará. Então, a partir daí, ela desencadeia uma fervorosa "caça ao homem". Quando percebe que Je Soo Ho, o CEO de uma empresa de desenvolvimento de jogos, atende a todos os critérios necessários, ela tenta persegui-lo. 
Gênero: Romance, Comédia, Drama
Nº de Episódios: 16
Ano: 2016
Onde Encontrar: Viki (online), Puri Puri Fansub (download)

Este dorama conseguiu uma vaga na minha listinha "mais adoráveis do ano!", então achei justo separar a resenha indicando as razões que fazem de Lucky Romance um ótimo enredo, o qual merece ser visto por todos os dorameiros!

1) Enredo fofo, divertido e delícia de assistir!

Shim Bo Nui é uma mulher extremamente supersticiosa, sempre acreditando e seguindo fielmente os conselhos de um cartomante. Desde a morte de seus pais, e o acidente que deixou sua irmã em coma, acredita que possui um espírito que traz má sorte a qualquer um que a ame ou se aproxime dela. Logo, adota medidas de prevenção, como símbolos em todos os cantos da casa, sal em qualquer ambiente que esteja e etc. Certo dia, o cartomante diz à Bo Nui que se ela dormir com um homem virgem nascido no ano do tigre (1986), sua irmã acordará do coma. Então, a louca supersticiosa decide buscar este tal homem, entretanto, ela tem um prazo definido, será que conseguirá encontrar este rapaz antes do prazo acabar? Enquanto isso, ela começa a trabalhar em uma empresa de desenvolvimento de jogos, a Zeze. Lá, conhece o CEO Je Soo Ho, o qual coincidentemente é um rapaz nascido no ano do tigre. Shim Bo Nui decide investir no moço, passando a praticamente persegui-lo - o que garante ao telespectador boas risadas - no intuito de convencê-lo a passar uma noite com ela. Porém, Soo Ho é um nerd que nunca namorou, sequer entende de mulheres pois seu primeiro amor foi embora sem ao menos se despedir. Na tentativa de fazer o CEO dormir com ela, Bo Nui acaba aproximando-se do rapaz, ajudando-o em muitos momentos difíceis, e esta aproximação resulta em um outro tipo de sentimento. O mais legal de Lucky Romance é que os roteiristas souberam brilhantemente manter o ritmo do dorama, mesclando um romance fofo com cenas de comédia divertidas e claro, aquela pitada leve de drama. Foram 16 episódios envolventes e bem deliciosos de assistir, há quem não curtiu ou até mesmo, achou-o chato... Já eu, me vi totalmente cativada pelo enredo e personagens, principalmente pelo romance que conseguia me arrancar uns "owns". Não é um dos enredos mais surpreendentes, surtantes ou criativos do ano, porém, acho que merece lugar na sua lista devido a todos os motivos que citarei no post.

2) Je Soo Ho (Ryu Joon Yeol) - Nerd fofo - quis apertar inúmeras vezes!!

E está pra nascer um nerd mais fofo que esse!!! Je Soo Ho é o CEO da Zeze, uma empresa que desenvolve jogos. O rapaz desde criança era um gênio, e nos flashbacks podemos conferir como sua mãe utilizava desse fato para ganhar "fama" pra ele, muitas vezes, o pressionando.  O que acarretou em um certo trauma psicológico, sendo o Soo Ho incapaz de se manter "firme" em frente às câmeras. Devido a este motivo, não se dá muito bem com sua mãe, e nem com seu pai, que certa vez, o jogou na água para que aprendesse a nadar e o garoto quase morreu afogado. Mesmo com todos esses problemas, o gênio cresceu e fundou uma empresa de sucesso, tornando-se referência na área de jogos. 

Por ser um nerd declarado, Soo Ho obviamente é extremamente racional e só acredita no que a ciência pode explicar, no que é comprovado pelas teorias das ciências exatas. Imaginem agora esta criatura aprendendo a lidar com um sentimento chamado amor. E não por qualquer pessoa, amor por alguém que acredita fielmente em santos, símbolos, misticismo e qualquer coisa que envolva forças ocultas...

Enquanto a Shim Bo Nui tenta desesperadamente convencer o chefe a dormir com ela, o moço tenta fugir da doida das superstições, e este casal improvável conquistou geral. O que eu mais gostei no Soo Ho, além de sua fofura, - sério gente, eu queria apertar este rapaz em cada cena! Adotá-lo...Trazê-lo pra minha casa! - foi sua personalidade tranquila e extremamente sensata, sendo suas ações calculadas racionalmente, o que já era parte dele e o mesmo não sabia controlar. Mesmo sendo racional, Soo Hoo tinha o diferencial pois não era um calculista frio, pelo contrário, tinha uma personalidade acolhedora, a qual demonstrou em todos os 16 episódios. 

À medida que foi se aproximando e envolvendo com a Bo Nui aprendeu a ser mais emotivo, por vezes, tornava-se cômico - imaginem um nerd apaixonado! Haha' - e por fim, amadureceu e aprendeu a lidar com seus sentimentos e receios. A evolução do Soo Ho é sútil, porém muito apropriada para a trama e o tornou mais apaixonante. AMEI este personagem, tanto por sua maneira boba de demonstrar seus sentimentos quanto por suas firmes ações quando estava passando por dificuldades. Vale ressaltar também seu lado atrapalhado que surgia quando não sabia como agir em frente à Shim Bo Nui. Lado, o qual, eu amava ver! Além de que, foi muito interessante poder acompanhar um prota engenheiro da computação - viva à classe dos engenheiros que quase nunca é retratada em doramas! - e não apenas um mero CEO, este já foi outro diferencial maravilhoso do enredo! Já está na minha lista de melhores protas masculinos do ano! - Preciso conferir outros doramas com o Ryu Joon Yeol!-

~morta~

3) Mocinha Supersticiosa: Shim Bo Nui (Hwang Jung Eum)

E a supersticiosa em questão é esta aqui. A Shim Bo Nui foi uma personagem que me cativou, afinal ser alguém tão fiel à uma crença não é algo que passa despercebido. Concordo que, às vezes, a criatura chegava a ser meio sem noção devido à fervorosa fé, entretanto, teve um diferencial bem interessante e provou que o ser humano em si precisa crer em algo, não de maneira exagerada, é claro. A fé foi a maneira que ela encontrou para lidar com a falta da irmã, após o acidente dos pais, só restaram as duas, e uma era o apoio da outra, sendo que a Bo Nui sentia-se totalmente responsável pela irmã mais nova, Shim Bo Ra (Kim Ji Min), tanto que achou que seu azar era o responsável pela situação dela. Seu medo de que seu mau espírito pudesse acabar com a vida da irmã era tão grande que nunca entrava no quarto de hospital em que ela ficava, voltava da porta sem ver o rosto da Bo Ra. Quando o cartomante diz que pode haver uma solução para salvar sua irmã, ela não pensa duas vezes e decide arriscar, mesmo que para isso, tivesse que adotar medidas um pouco drásticas. 
Sua personalidade apesar de tudo, era agradável e cativante, sempre buscando ajudar quem precisasse, inclusive, por vezes, esteve ao lado do Soo Ho dando um conforto para o moço. O que fez ambos se aproximarem e desenvolverem sentimentos um pelo outro. Bo Nui tenta até resistir ao sentimento pois acredita que seu azar pode acabar mirando no CEO, mas tenta pensar que merece uma chance de ser feliz, de estar ao lado do homem que ama. E o dilema amor vs superstição começa! Eu não sou fã da Jung Eum, porém ultimamente tenho curtido as personagens da moça, tanto neste drama quanto nos anteriores She Was Pretty e Kill Me, Heal Me.

4) O Tenista em busca do pai = Gary Choi (Lee Soo Hyuk)

E o forever alone da vez é o tenista famoso Gary Choi, o qual acaba de retornar à Coreia do Sul com o objetivo de encontrar seu pai, o qual há anos não vê ou sequer tem notícias. Quando retorna, Gary decide visitar o local onde passou sua infância, lá reencontra sua velha amiga e vizinha Shim Bo Nui, daí já sabem né?! Os sentimentos de primeiro amor de antigamente ressurgem e fazem o boy arrastar um caminhão para a Bo Nui. Gary torna-se um apoio para a Bo Nui em muitos momentos, e mesmo quando descobre a busca da amiga por um homem nascido no ano do tigre, não a acha louca, pelo contrário, a apoia e até tira proveito da situação. Espertinho... Haha'
Foi o típico forever alone, gente boa, paciente, prestativo e como sempre, ficou sem a garota, mas também tendo o nerd fofo como primeira opção era um pouco difícil escolher a segunda... O Soo Hyuk tem me conquistado cada vez mais com seus personagens, em Neighborhood's Hero o moço interpretou um ser que eu quis adotar e aqui continuou sendo agradável e amorzinho, porém, o Soo Ho me fisgou... fazer o quê, né?!

5) Romance = Soltei "owns", vomitei arco-íris! Fofura à 1000!

E parece que a fofura tomou conta dos doramas de comédia romântica ultimamente, após Beautiful Gong Shim me deliciei com este casal aqui. Tenho que assumir que Soo Ho & Bo Nui me conquistaram mais do que Dan Tae & Gong Shim, tudo porque achei extremamente fofo e divertido ver um nerd apaixonado por uma supersticiosa. A maneira como ambos vão se aproximando é inicialmente devido à uma relação de trabalho, pois a Bo Nui é contratada para desenvolver um jogo junto com a equipe da Zeze e consequentemente, com o CEO. Os dois começam a passar um tempo juntos e em algumas ocasiões, nas quais o Soo Ho passa por dificuldades, a Bo Nui o ajuda. 


O mesmo acontece com a moça, e o Soo Ho presta seus serviços, fazendo com que a amizade torne-se um grande afeto. O melhor do casal é a maneira como vão aprendendo a lidar com as diferenças, as crenças um do outro, isto não ocorre de maneira gritante, e sim, sútil. Soo Ho não acredita em forças superiores, entretanto, respeita e aceita a fé da Bo Nui, demonstrando que amar é aceitar o outro e tudo que vem no pacote. Por outro lado, a Bo Nui começa a ver um lado menos "místico" da vida graças ao moço e assim, ambos, começam a enxergar o "mundo" um do outro e através disto, lidar com suas verdades. 

Era impossível não gargalhar com as trapalhadas do Soo Hoo e as maluquices supersticiosas da Bo Nui, e da maneira como os dois se comportavam quando estavam declaradamente apaixonados. Jung Eum e Joon Yeol conseguiram manter uma química leve, divertida e fofa, me fazendo montar torcida para o casal improvável. Os dois eram uma amorzinho juntos e conseguiram sim, me fazer vomitar arco-íris - e olha que isto não é fácil!- e soltar inúmeros "tão fofooos!".  <3

~Essa cena...

6) Equipe Zeze

A equipe que trabalha para o Soo Ho merece ser mencionada devido ao carisma e garantia de cenas divertidas. Sofriam quando o chefe estava um pouco irritado e se maravilhavam quando o mesmo estava de bom humor e pagava as refeições. No geral, apoiaram o Soo Ho em todos os momentos, provando que eram mais do que apenas uma equipe que trabalhavam para um jovem CEO, eram amigos dele. 
Destaque para o fiel amigo e sócio do Soo Ho, o Han Ryang Ha (Jung Sang Hoon) que me divertiu em inúmeras cenas, e também para a funcionária Lee Dal Nim (Lee Cho Hee) que soube ser uma ótima amiga para a Bo Nui e incrivelmente maluquinha no quesito "romance". 

7) Secundários que contribuíram -minimamente - para a trama.

Além dos secundários que constituíam a equipe Zeze, temos também os pais do Soo Ho e o vendedor de frango. Como já mencionei, os pais do Soo Ho aprontaram algumas com ele e passaram longe de ser uma família carismática e envolvente, entretanto, entram como motivo para ver o drama pelo fato de retratarem que nem sempre uma família é feliz, mas que nem por isso deixam de ser família. Não foram tão bem explorados na trama, o que eu até entendo, se fossem a carga dramática aumentaria e isto se tornaria meio desnecessário, os roteiristas souberam usá-los de maneira eficiente na trama, o que bastou. E o vendedor de frango, o Ahn Young Il (Jung In Ki), foi um personagem que me enganou, achei que traria uma revelação importante, mas nem foi isso. O vendedor é amigo antigo da mãe do Soo Ho, e aos poucos marcou presença nos capítulos, nada muito interessante, porém, até que gostei dele, pouco, mas gostei. Ah! Também temos o ahjussi Won Dae Hae (Kim Sang Ho) que tentava a todo custar conseguir uma grana, e chegava a ser sem noção, mas como não possuía maldade tornava-se cômico.

8) Shim Bo Ra (Kim Min Ji)

A Bo Ra não foi uma personagem ativa na trama, ela estava em coma e tals... Entretanto, sua presença tem um significado tão importante devido à Shim Bo Nui que ela tornou-se praticamente um símbolo do enredo. Torci o tempo todo para que a menina acordasse, para que a Bo Nui retirasse a culpa que sentia e aproveitasse futuros momentos felizes ao lado de sua única família de sangue, afinal, as duas só tinham uma á outra e mereciam estar juntas.

9) Amy (Lee Chung Ah)

A Amy é a agente do Gary, a qual tornou-se um amiga próxima do moço. Quando o mesmo retorna à Coreia, ela também volta e reencontra seu antigo amigo e primeiro amor: o Soo Ho. Amy não me cativou muito, e muitas vezes, a achava uma chata. Só lá perto do final do dorama que comecei a gostar dela e achá-la mais carismática. É aquele tipo de personagem que se não existisse na história, pra mim, não faria falta. Só gostei de uma coisa que envolvia a Amy, confiram abaixo.

10) Amizade entre Amy & Gary Choi

Apesar de achar a Amy uma chata e só conseguir "engoli-la" lá perto do fim do drama, uma coisa é fato: sua amizade com o Gary era muito fofa. Os dois demonstraram que amizade entre um homem e uma mulher pode sim existir, ambos trabalhavam juntos mas não apenas por isso tornaram-se amigos, o convívio os aproximou e os fez construírem uma amizade tanto profissional quanto pessoal. 
Amei demais poder conferir uma amizade deste tipo, sem qualquer interesse amoroso de alguma parte, acho que amizade entre homem e mulher pode sim existir sem segundas intenções, e estes dois provaram isto! Não shippei os dois como casal romântico e acho que se fossem um possível casal, perderiam o carisma que transmitiam.

11) Final = Mais ou Menos Satisfatório!

Antes que vocês fiquem preocupados afirmo que o final não foi ruim. O fato de eu considerar mais ou menos satisfatório é devido à presença daquele clichê chato denominado: um ano depois... Sério, por que raios coreanos tem mania de fazer isso?! Tem certas situações que não precisam disso! Beleza que os roteiristas de Lucky Romance conseguiram fazer isto de maneira desigual da maioria, porém, só de ter este fato já perderam ponto comigo. Nos quesitos restantes, o dorama conseguiu finalizar tudo com dignidade. Poderia ter sido melhor? Sim! Maaaas vamos agradecer por não ter sido pior... né?!

12) Trilha Sonora (OST)

Assim como o romance fofo, a OST não poderia deixar de ser uma doçura. Confiram as faixas que eu mais gostei abaixo:

More Than Anyone Else - Taeyoon



Lean On Me - Junsu - Essa música é muito linda!



Shalala Romance - Dawon 



Tell Me - Soyou (SISTAR) 



Espero que tenham gostado da resenha e depois de todos estes motivos, acho justo vocês adicionarem este dorama na lista. Não deixem de comentar e até a próxima!!

~Encerro com um gif que nem precisa de comentários...~

2 comentários:

  1. Terminei esse drama esta semana. Vou confessar que os quatro primeiros episódios eu achei bem chatinhos (foi melhorar só no fim do quarto), mas fui muito feliz em não ter desistido de vê-lo. Aos pouquinhos esse drama foi me conquistando e eu fiquei encantada com o romance desses dois.
    Engraçado que no começo, eu não torcia nem pelo CEO (pois eu o achava muito chato) e nem pelo Gary (pois o achava sem sal). Mas depois que o CEO se viu apaixonado e começou a mudar sua forma de ser e de agir, eu passei a gostar dele. E também passei a entendê-lo quando mostrou um pouco dos traumas que ele sofreu no passado.
    Eu ficava muito triste quando eu via a Bo Nui se culpando por tudo de ruim que acontecia. Infelizmente coisas ruins acontecem com todo mundo e claro que coisas boas também. Acho que a protagonista não percebeu o quanto ela levou 'sorte' para a Zeze (afinal o jogo foi desenvolvido por causa dela, e o Gary foi o protagonista do jogo só porque ela conhecia o jogador e o convenceu de ir à empresa conversar com o CEO).
    Além disso, ela ajudou o Gary a reencontrar o pai, levou um pouco de cor e alegria para a vida do CEO e ainda fez com que este se reaproximasse dos próprios pais. E o fato dela gostar do Soo Ho, fez com que a amiga desistisse dele e percebesse que gostava de verdade do dono da cafeteria. Mas, apesar de todas essas coisas boas, ela sempre se culpava por tudo que acontecia de errado. Quando uma pessoa tem pensamentos positivos e acredita que só está perto de pessoas e coisas boas, é claro que coisas boas passarão a acontecer com maior frequência. Mas muitas vezes, a dor e a culpa que a protagonista sentia eram tão grandes que fizeram com que ela não percebesse isso.
    O que eu mais gostei no fim foi com que ambos os protagonistas puderam dar se uma nova chance e recomeçar. Soo Ho criou uma nova empresa com o dono da loja de frango (que antigamente lidava com programação) e com o ahjussi gordinho que foi segurança da empresa. Mesmo que este tenha prejudicado a Zeze sem querer, o CEO foi capaz de perdoá-lo. Acho que o ‘antigo’ Soo Ho não faria a mesma coisa.
    Bo Nui, com o apoio moral da irmã e da amiga, desenvolveu o projeto sozinha e mesmo sem seu tigre por perto, conseguiu ter sucesso. Já que coisas boas estavam acontecendo na sua vida (irmã se recuperando, além de ter um trabalho e uma vida tranquila), ela tinha pensamentos positivos e isso deu força para que ela conseguisse seguir seu caminho.
    Bom... acho que é isso! Por mais difíceis que sejam alguns dos nossos dias, sempre tem algo bom para acontecer. Às vezes, não percebemos essas coisas, mas não podemos deixar de ser gratos sem perder a fé em nossas vidas, no nosso futuro e em nós mesmos.
    Obrigada pela resenha!
    Mari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Aos pouquinhos esse drama foi me conquistando e eu fiquei encantada com o romance desses dois." O romance bobo deles eram uma amorzinho né?! <3
      O CEO me conquistou desde o primeiro episódio, o jeito nerd dele me encantou sabe? ahsuahsua'
      Exatamente! Bo Nui se culpava muito e era triste vê-la sofrer assim. Sendo que muitas vezes, ela foi alguém que trouxe sorte e felicidade para os outros, inclusive para o CEO. la o ajudou em muitos momentos, sendo um apoio muito lindo de se ver!
      "Quando uma pessoa tem pensamentos positivos e acredita que só está perto de pessoas e coisas boas, é claro que coisas boas passarão a acontecer com maior frequência." Faço suas as minhas palavras, supeeeer concordo com isso!
      Gostei MUITO da sua análise sobre o final e vendo deste modo, é realmente verdade! *-*
      "Por mais difíceis que sejam alguns dos nossos dias, sempre tem algo bom para acontecer. Às vezes, não percebemos essas coisas, mas não podemos deixar de ser gratos sem perder a fé em nossas vidas, no nosso futuro e em nós mesmos. " Exatamente! Precisamos manter o pensamento positivo, manter a fé e acreditar que coisas boas virão!
      Obrigada novamente pelo comentário, é maravilhoso poder trocar opiniões assim! Beijão Mari! :*

      Excluir

Sua opinião também é importante. Comente! (:

Compartilhe