Menu

D-Day [K-Drama]



Doramas médicos sempre estão na minha lista e eis que não poderia deixar de conferir o título que desde seu anúncio já prometia grandes surpresas a partir de uma mescla muito interessante de gêneros. Então, finalmente trago resenha de um dos dramas de 2015 que, com certeza, merece um lugar na lista de todo dorameiro.

D-Day



Sinopse: Após um terremoto na capital coreana, um grupo de médicos se reúne para prestar os primeiros socorros às vítimas. O Hospital Mirae é o único com estrutura para suportar a demanda de pacientes, porém, o diretor do mesmo se nega a aceitar a quantidade de pessoas, o que causa conflitos externos e até internos. Com a intervenção de um deputado, o hospital então, passa a aceitar os pacientes e assim, a capital coreana começa uma verdadeira fase de reestruturação pós desastre.
Gênero: Drama, médico, desastre
Nº de Episódios: 20
Ano: 2015
Onde Encontrar: Viki (online), Meteor Dramas (download)

Personagens

Lee Hae Sung (Kim Young Kwang)

O protagonista da vez é o médico Lee Hae Sung, é um dos mais habilidosos cirurgiões no Hospital Mirae, também local onde sua mãe que se encontra em coma está internada. Hae Sung é determinado e sempre coloca a opção salvar o paciente em primeiro lugar, chegando até a ser imprudente algumas vezes. Por causa de algumas de suas atitudes acaba conseguindo a atenção do Diretor Park Gun que se demonstra pouco satisfeito com o médico, o que torna ambos, praticamente inimigos. Mesmo o Hae Sung, ás vezes, agindo impulsivamente, era impossível não se cativar com o rapaz, afinal, o desejo dele de fazer o melhor como médico e assim salvar seu paciente, era admirável. Sempre disposto a fazer o que quer que fosse necessário, se preciso arriscava até sua própria condição física, sua vida. 

Com o passar do tempo o personagem foi amadurecendo, passando a entender melhor que um médico também precisa ser prudente, para assim, poder salvar vidas. O senso de dever e responsabilidade do rapaz era imensamente forte e por isso, muitas vezes entrava em diversos perigos e conflitos para salvar o paciente em questão, agora me digam, como não se cativar com um personagem desses? O ator já me é conhecido desde Good Doctor e desde lá, já tinha um certo afeto para com o Young Kwang, o que consequentemente aumentou após este dorama. Em suas cenas dramáticas eu ficava com o na mão e me emocionava bastante, e nem tinha como ser o contrário, a cara de depressivo que o rapaz fazia acaba com meu psicológico. Se você ainda não conhece este ator, acho justo darem uma chance para o moço. P.S: Young Kwang é tão alto que eu imagino que me sentiria uma formiguinha ao lado dele. <3
Jung Ddol Mi (Jung So Min)

E temos aqui a protagonista feminina que foi outra personagem que me cativou totalmente. Ddol Mi acaba se tornando parte da equipe que auxilia o Dr. Lee meio que por acaso, mas a partir daí, ambos vão se tornando mais próximos e a moça acaba se tornando um grande apoio para ele. 
Ddol Mi inicialmente é uma médica que tem medo de se arriscar em situações mais extremas, mas ao conviver com o Lee Hae Sung, passa a entendê-lo e a crescer profissionalmente. E também, adquire grandes experiências que vão tornando-a mais determinada e focada em seus objetivos. Gostei demais da personalidade da personagem, não bobinha e do tipo que espera tudo ser resolvido para depois agir, pelo contrário, quando necessário, a mocinha soube agir e até acabou ajudando o Dr. Lee. P.S.²: Gostei demais do sotaque Busan fortíssimo da moça, se tornou uma característica marcante e que caiu muito bem sonoramente, era agradável.

Dr. Han Woo Jin (Ha Suk Jin)

Confesso que inicialmente o médico Woo Jin estava me dando uma raivinha básica, afinal, ele apenas obedecia o Diretor do Hospital e pouco demonstrava se importar verdadeiramente com seus pacientes. Só não queria se arriscar profissionalmente, ás vezes, até desconsiderava o risco que o paciente estava correndo por puro medo de que algo desse errado e ele tivesse que acatar com problemas judiciais ou algo do tipo. Por um tempo, Woo Jin foi assim e estava entrando para minha lista de personagens "odiados" da trama, porém, com o decorrer de alguns acontecimentos, ele foi voltando atrás e tentando se redimir de cada erro que havia cometido. Sim, cada erro. Sem esquecer nenhum. Por isso, passei a admirar a coragem do rapaz e passei a torcer para um final digno apesar de seu pequeno probleminha recém descoberto (ficaram curiosos? Só assistindo! Haha). Outro ponto positivo do personagem era seus sentimentos em relação à enfermeira Ji Na, que eram sinceros, o que se tornou perceptível e passei a torcer por este casal secundário.
P.S.³: Onde eu estava que nunca notei este ator em outros doramas/filmes/etc? 

Diretor Park Gun (Lee Kyeong Yeong) 


Se você pretende ver este dorama, guarde bem este rosto! Eis aqui um dos personagens que eu mais ODIEI na minha vida doramática. Vocês não tem ideia do quanto eu queria estrangular esta criatura, a cada situação que ele criava para tentar ferrar com o Hae Sung, eu começava a inventar mais maneiras de como gostaria de matá-lo. Sério gente, eu pensei em invadir a tela, atirar na cabeça dele, ou chegar dando uma voadora ou simplesmente, enforcá-lo com minhas mãos. Imaginem o quanto o odiei já que passei 20 episódios desejando que ele morresse. Acho que grande parte deste ódio não foi tanto por ele ter tentando acabar com o Hae Sung a cada oportunidade e sim devido à sua ganância sem limites. O homem era tão preocupado com sua posição e dinheiro investido no hospital que passou a esquecer de que era um médico, um profissional que tem como obrigação salvar vidas, ele simplesmente, só pensava em si mesmo e vendo atitude tão egoísta no meio de uma calamidade como a ocorrida na trama, isso me tirou a paciência e qualquer compaixão que poderia sentir resultou em um ódio gratuito para com o personagem. P.S.4: O ator interpretou tão bem que para mim, foi como se os dois fossem a mesma pessoa. Parabéns para ele (o ator)! 

O dorama é repleto de personagens carismáticos e bem construídos, se eu for falar de cada um a resenha ficará maior que o normal, por isso, farei apenas algumas menções em conjunto:
  • Equipe Médica

A equipe que acaba se reunindo para tratar dos pacientes do desastre também me cativou. Os personagens que acho válido citar são; enfermeira Park Ji Na (Yoon Joo Hee): que soube determinadamente se impôr sempre que necessário, o que sempre me impressionava; Eun So Yul (Kim Jung Hwa): a psicóloga que se tornou assistente de cirurgia e me conquistou com sua personalidade tranquila e prestativa; 

o interno Ahn Dae Gil (Lee Sung Yeol): o moço do INFINITE foi uma verdadeira surpresa, não conheço o grupo ao ponto de saber o nome de cada integrante, apenas ouço algumas músicas aleatórias e fiquei cativada com a atuação do moço, se não soubesse que ele era de um boygroup nem desconfiaria que era um idol e apenas o acharia um mero ator como qualquer outro. Seu personagem demonstrou o quanto um médico pode aprender com seus superiores e se tornar melhor profissionalmente. P.S.5: Achava muito engraçado quando a Ddol Mi o dava uns sermões e o espancava /kkk: enfermeira Kim Hyeon Sook (Kim Jae Hwa), a moça acaba "presa" ao Hae Sung e assim se tornam amigos, era engraçado como ambos ficavam toda hora se chamando de brother e sister (mais especificamente Sistar, esse inglês coreano /kkk); Por último, o Dr. Yoo Myeong Hyeon (Go Gyu Pil) que também me causou uns ódios básicos, principalmente por sua falta de responsabilidade como médico, apesar de no último episódio meu ódio ter diminuído, ainda não engoli o personagem.
  • Grupo de bombeiros

Além da equipe médica se empenhando para salvar vidas, tinha-se também os bombeiros. Outro grupo que me agradou bastante, sempre buscando salvar pessoas que se encontravam em situações complicadas e/ou até mesmo de perigo devido ao terremoto. Dentre eles, vale a pena citar o Chefe Choi Il Seob (Kim Sang Ho - o ahjussi de City Hunter, lembram?) que com sua dedicação em salvar vidas e cumprir as obrigações de sua profissão me cativou totalmente. 

E também, o irmão mais novo do Hae Sung, o Woo Sung (Song Ji Ho) que acabou me conquistando devido a uma determinada ação. O caçula não se dava bem com o Hae Sung, a relação de ambos de início é cheia de mágoas, motivos que são explicados na trama, porém, com o tempo, ambos vão se entendendo e passei a entender e gostar mais do Woo Sung. O rapaz protagonizou a cena que mais marcou durante todo o dorama, ele me partiu o
  • Kang Joo Ran (Kim Hye Eun) & o político  Goo Ja Hyuk (Cha In Pyo)

A chefe Joo Ran foi uma das personagens que mais gostei, apesar de ter ficado meio receosa com ela no início devido a sua atitude em voltar ao hospital sendo que acabou perdendo de vista seu filho durante o terremoto, entretanto, depois passei a entendê-la, fez o que era necessário como parte de uma equipe que precisava ajudar aos cidadãos confiando apenas em que tudo ficaria bem, manteve até o fim a sua fé. Também era uma das que mais apoiava e ajudava o Hae Sung, justamente por isso, passei a gostar mais da moça. Seu namorado é o político Ja Hyuk que é escolhido para reestruturar Seul no momentos iniciais após o desastre. Confesso que desde suas primeiras ações, algo me dizia que ele não era tão bonzinho quanto parecia, e não errei totalmente, porém, entendi a proposta do personagem na trama e entendi sua mensagem: quando se precisa ser um líder, é necessário tomar decisões. Gostei da junção desse casal e foi o que menos torci, porém, não deixaram de me fazer cultivar um mínimo afeto.

Roteiro


Desde que li a sinopse de D-Day já, automaticamente, decidi adicioná-lo na minha lista, afinal, um dorama com uma proposta tão diferente do comum como essa, era merecedor do meu tempo. E digo-lhes com toda a convicção de que foi um verdadeiro prazer ver todos os 20 episódios. O roteiro surpreende com os acontecimentos que vão surgindo, tanto o dia do terremoto quanto os seguintes, em que pode-se ter uma ideia do quanto um terremoto abala as estruturas de uma cidade literalmente, seja no quesito material, quanto no emocional de cada pessoa envolvida. E esta é a ideia da trama, mostrar como em meio a uma calamidade, as pessoas se comportam. 

Tanto a equipe médica quanto a de bombeiros relatou através da telinha, o quanto é difícil lidar com este tipo de situação, sendo que o auxílio muitas vezes, demora a chegar. Isso faz o telespectador pensar em quão terrível é para uma população passar por isso, sério gente, refleti várias vezes sobre como deve ser triste quando isto acontece em alguns países, é uma situação realmente assustadora. A ideia da trama é justamente essa, mostrar como é a realidade de uma país após a calamidade, o que se tornou algo original feito com maestria. Além de todas estas mensagens, ainda temos personagens bem construídos que às suas maneiras contribuem para deixar a trama mais interessante. Transmitindo também suas lições sobre amizade, generosidade e solidariedade. Quem fez o roteiro merece parabéns, sério mesmo.

Romance


O foco de D-Day não é romance, como já deve ter dado pra perceber, mas isso não me impediu de shippar casais e torcer para que ficassem juntos ou que pelo menos, tivessem umas cenas juntos. E acabou que no final, estava totalmente cativada por cada possível casal, acreditam?

- Hae Sung e Ddol Mi



Principalmente, por estes dois. Aqui está o casal que me conquistou completamente. Ao decorrer dos episódios Hae Sung e Ddol Mi foram ficando mais próximos e consequentemente, um sentimento de companheirismo foi nascendo. O que se tornou muito lindo de se acompanhar, pois não ficou um romance explícito, o que não combinaria com o contexto do enredo, pelo contrário, foi leve e suave. 

A amizade que nasceu deu lugar a um sentimento amoroso e foi um ponto positivo da trama, era bonito demais ver ambos fazendo seu trabalho como profissionais em meio a um desastre mas ao mesmo tempo, sendo humanos e deixando seus sentimentos transparecerem, foram gostando um do outro. Também menciono que o apoio que a Ddol Mi forneceu ao Hae Sung em vários momentos foi mais que bem encaixável na trama, o que os tornou muito, mas muito mais, fofos. A Ddol Mi era uma base de apoio para o Hae Sung que tentava segurar todo o sofrimento sozinho, muitas vezes, ela era meio que um porto seguro pra ele. Fofos, não?

Final

Como acontece em alguns doramas, ás vezes, a trama é totalmente incrível até o penúltimo episódio e no último, simplesmente, se torna uma grande decepção. Meu maior medo era que D-Day entrasse nessa estatística, porém, para a minha total FELICIDADE, isto não aconteceu. Apesar de um determinado acontecimento ter me deixado meio triste, com um peso no coração e eu não ter gostado do mesmo, entendi a proposta do roteirista e até compreendi que aquilo era necessário. Após isto, passei a compreender melhor ainda o enredo do dorama e considero que o final foi muito bom, assim como todos os outros 19 episódios. Por isso, podem assistir sem medo. (OBS: Apenas estejam preparados para eventuais lágrimas!) 

Considerações Finais
  • Go Na Ri (Lee Young Eun)

D-Day não foca apenas no grupo de bombeiros e médicos dispostos a salvar pessoas que sofreram com o desastre, também temos alguns pacientes ou apenas pessoas que dão o ar da graça em alguns momentos, apenas para retransmitir as mensagens sobre generosidade e solidariedade. Dentre eles, destaco a Na Ri que conseguiu me emocionar em suas cenas mais dramáticas. A atriz mirim quase me levou ás lágrimas. (P.S.6: Não sou do tipo que chora fácil ao assistir algo, por isso não achem estranho quando coloco um "quase" na frase. Ah, mas não pensem que sou insensível, sempre tem uma exceção e a minha é o dorama: 1 Litro de Lágrimas, chorei desesperadamente. 
E tem como não inundar a casa ao ver o sofrimento da Aya?)

  • Destaque
Como eu mencionei, D-Day também foca muito em transmitir mensagens sobre amizade, generosidade e solidariedade e este, para mim, foi um dos pontos mais positivos da trama. Ao ver os episódios, pode-se acompanhar os conflitos que podem surgir por divergências de opiniões sobre como lidar com um desastre de tão grande proporção, mas também, pode-se notar o quanto as pessoas podem ser calorosas e deixarem sua vida de lado para cumprir suas obrigações como profissionais. 

Como exemplo, a Chefe Kang que retornou ao hospital para ser a médica que todos precisavam, mantendo a fé de que assim como ajudava outros, alguém também ajudaria seu filho. E temos também, o Hae Sung, sério pessoas, se cada médico existente no mundo tivesse ao menos 1/3 da vontade dele para salvar os pacientes, quem sabe a situação do sistema de saúde (não só no nosso país, mas em geral) estivesse melhor. P.S.7: Me admirava com a responsabilidade e comprometimento dele tanto como médico quanto filho.
  • Melhores Cenas
- Abraço fofo <3


- Hae Sung de olho no alongamento da Ddol Mi *-*


- Ddol Mi contemplando o ABS (lindo/perfeito/maravilhoso ) do Hae Sung


- Ddol Mi na pontinha do pé na hora do Kiss (se fosse eu, precisaria de um banquinho /kkk)


- Perceberam que a maioria das minhas cenas favoritas foi do casal né? Coisas da vida... Mas a cena que mais me marcou neste dorama, sem sombra de dúvidas, foi a protagonizada pelo Woo Sung: P.S.8: Para entender o porquê, só vendo o dorama.


  • OST
De todas as músicas, apenas duas realmente me cativaram. Confiram abaixo:
P.S.9: Os vídeos podem conter possíveis spoilers. Avisados.

Let You Know - Wendy (RedVelvet)


Memories - Kangin (Super Junior)


Espero que tenham curtido a resenha e claro, para quem curte doramas médicos, 
eu super recomendo D-Day. Até o próximo post!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Sua opinião também é importante. Comente! (:

Topo