03 abril, 2016

Cheese in the Trap [K-Drama]


E após adiar por semanas (tanto por estar sem tempo, quanto por causa do medo de assistir ao último episódio e acabar decepcionada) finalmente tomei vergonha na cara e decidi conferir um dos doramas mais comentados do ano, aliás, na verdade, um dos finais mais comentados do ano até agora, aquele do tipo que repercute dividindo opiniões dos telespectadores em geral...

Cheese in the Trap


Sinopse: Hong Seol é uma estudante trabalhadora, que acaba de retornar para a faculdade depois de uma longa pausa. Lá, conhece o misterioso Yoo Jung, apesar de parecer tranquilo, ele aparenta ser perigoso. O que acontecerá quando os dois começarem a se envolver?
Gênero: Drama, romance, psicológico
Nº de Episódios: 16
Ano: 2016
Onde Encontrar: Fighting Fansub (download), DramaFever (online), Subarashiis Fansubs (download)

Então, como tenho muita coisa para comentar optei por dividir a resenha em tópicos, assim abordarei alguns personagens que para mim foram mais marcantes, e também trarei ressalvas sobre o enredo, e claro, o tão famoso/polêmico final.

- O misterioso Yoo Jung (Park Hae Jin)

O protagonista da trama foi um verdadeiro mistério que custou a ser totalmente desvendado e quando finalmente aconteceu de entendermos quem era o Yoo Jung, tudo ficou mais compreensível, pelo menos, em partes. Yoo Jung de início é todo fechado e frio, à medida que começa a "perseguir" a Seol (falarei da moça mais adiante) começa um período de aprendizagem. O que ficou claro na trama é que ao mesmo tempo em que ele se aproxima da Seol, nutrindo sentimentos, passa a perceber mais sobre si mesmo. Detalhes que ele estava deixando passar despercebido, ou na verdade, simplesmente ignorava. Eu realmente fiquei fascinada com o Yoo Jung, o mistério em torno do personagem manteve minha atenção, eu queria realmente entender o porquê dele oscilar tanto entre uma pessoa calorosa e outra totalmente fria como um cubo de gelo. Digo-lhes que ele realmente soube manter uma linha de personalidade objetiva e própria/original.
O Hae Jin contribui muito para isso, afinal os olhares que mandava em cena e sua maneira de se comportar foram tão reais que eu simplesmente, fiquei mais encantada. Yoo Jung foi um dos protagonistas mais diferentes que já vi em doramas, não é o típico mocinho brincalhão/CEO/bobinho/certinho demais/ ou qualquer personalidade mesmice que queira acrescentar aqui. Ele foi simplesmente único, e era esta a intenção, pois Yoo Jung era algo mais, não apenas o que aparentava mas alguém mais complexo, com dificuldades, com problemas, porém não tão normais como outros, não posso abordar muito para assim evitar possíveis spoilers! Para entendê-lo melhor só conferindo o dorama! /haha.
- Hong Seol (Kim Go Eun)


A protagonista feminina não me encantou tanto, em comparação com o misterioso acima, inicialmente eu achava a Hong Seol sem graça, na verdade, a achava apática, devido a sua maneira de encarar a vida, situações... Sempre tentando evitar conflitos, aceitava diversos pedidos das pessoas da faculdade para que não tivesse que lidar com eventuais desentendimentos ou apenas por não saber dizer um simples não. Isso me incomodou um pouco, porém ao decorrer da trama e devido às pessoas que ela vai conhecendo, em especial, ao Yoo Jung, ela vai aprendendo a se impôr. Começando a agir de acordo com o que realmente acha sem ficar apenas "vivendo em cima do muro". Com sua mudança aflorando, a moça passou a enfrentar quem gostava de abusar dela com seus pedidos e isso sim, eu gostei de ver. A aproximação com o Yoo Jung, além de florescer sentimentos e mudanças na moça, também a fez sentir mais vontade de entrar no mundo em que o moço vivia, a fez sair de sua zona de conforto para assim enfrentar uma das coisas mais difíceis da vida: lidar com outras pessoas. Yoo Jung tem uma maneira própria de enxergar e lidar com as pessoas próximas à ele, e Seol ao perceber isso decide ficar ao lado do rapaz, tentar compreendê-lo de forma que ninguém o faz. O ponto é que Hong Seol foi uma personagem que demonstrou uma grande evolução e só por isso, me fez gostar dela, mesmo que pouco.

- Baek In Ho (Seo Kang Joon) rebelde sem/com/ causa

E meu personagem preferido está aqui. O In Ho era o melhor amigo do Jung na época do colégio porém após uma briga, ambos se distanciaram e só voltam a se encontrar agora. O Baek In Ho e sua irmã In Ha (a qual falarei mais abaixo) foram adotados legalmente pelo pai do Jung, e o que era para ser uma união pacífica acabou causando mágoa entre todos. Depois da briga entre o Jung e ele, In Ho se afastou e ao retornar acaba conhecendo a Seol, coincidentemente passa a trabalhar no restaurante da família dela. Isso tudo acontece praticamente ao mesmo tempo em que a Seol e o Jung vão se tornando mais próximos e é claro que o nosso misterioso não quer seu agora inimigo fique perto de sua garota. O conflito entre eles vai aumentando a partir do momento em que as mágoas do passado também tornam a reaparecer e além de tudo isto, adivinhem...! O In Ho vai se tornando amigo próximo da Hong Seol nutrindo sentimentos e tals, então claro/óbvio/ que o conflito entre os dois só aumenta.

Baek In Ho foi meu personagem preferido devido sua maneira de agir, o garoto impulsivo que partia logo era pra briga também demonstrava que poderia ser sensível à sua maneira, o que me chamou atenção. A maneira como ele lida com seus sentimentos pela Seol foi admirável, totalmente consciente do que ela sentia, ele tratou de ser correto e não tentar pressioná-la, o que achei muito maduro da parte dele. Porém, não posso dizer que o moço foi 100% correto em tudo, mas ninguém em Cheese in the Trap foi e isso só tornou o dorama mais realista. Tratarei disto quando for falar do roteiro. Voltando ao In Ho: mesmo com sua maneira, ás vezes grossa e pavio curto, ele demonstrou que tinha bom coração, e isso me fez amá-lo muito. Além de que o ator é tão lindo! Onde eu estava vivendo que nunca tinha reparado no Kang Joon? Aliens por favor, não me abduzam mais!

Amigos da Seol: Kwon Eun Tak (Nam Joo Hyuk) e Jan Bo Ra (Park Min Ji)

Os fiéis companheiros da Seol foram outros personagens que me cativaram demais e que ganharam minha torcida desde o primeiro episódio. Bo Ra e Eun Tak demonstraram o significado de verdadeira amizade. Estavam sempre, SEMPRE mesmo, ao lado da amiga para o que fosse preciso, desde as mínimas coisas até as mais graves, então é meio impossível não se cativar por ambos. 
Além de que, o Eun Tak tenta a todo tempo provar o quanto gosta da Bo Ra, porém a garota fica resistindo devido ao medo de ceder, usando aquele pensamento "é melhor tê-lo ao meu lado apenas como amigo do que  talvez como futuro ex namorado". E assim, ganhamos mais um casal secundário daquele tipo que nos fazem torcer muito para que fiquem juntos logo. P.S.: Só queria que o Joo Hyuk tivesse mais destaque  no dorama, achei que ele apareceu pouco e como eu tenho um amor escondido por ele desde School 2015, queria vê-lo em mais cenas. O jeito é aguardar o próximo dorama dele!


- A maluca/pirada da Baek In Ha (Lee Sung Kyung)
A irmã mais velha do Baek In Ho definitivamente foi uma das personagens mais marcantes do dorama, inclusive dos doramas já lançados do ano. O que era a loucura desta menina? Eu não sei explicar exatamente o porquê mas eu realmente gostei da In Ha, o que é estranho sendo que personagens fúteis como ela, geralmente não me cativam. Mas a garota era uma pirada tão engraçada- com seus acessos de loucura mais que fora do normal- que eu simplesmente gargalhava horrores com ela. In Ha só se importa em manter seu estilo, padrão de vida, comprando roupas caras, o importante para ela era ter dinheiro para gastar, o que de certa forma é fruto de sua infância longe de um ambiente familiar tranquilo. 

O que eu percebi verdadeiramente da personagem é que independente de suas ações impensadas e muitas vezes más, ela fazia tudo para chamar a atenção do Jung, e/ou até mesmo do pai dele. Baek In Ha confessa muitas vezes seus sentimentos para o Yoo Jung, o que não digo não ter sido real mas para mim, a moça na verdade, só implorava por atenção e sua forma de conseguir isto era muitas vezes, totalmente errada.

Temos muitos outros personagens porém não irei mencioná-los na resenha especificamente, pois assim vocês ficam curiosos e irão conferir o dorama /haha. Tudo que ainda quero comentar e alguns personagens secundários que foram importantes às suas maneiras serão citados superficialmente no tópico abaixo, onde gostaria de expressar o quanto Cheese in the Trap conseguiu ser uma comédia romântica dramática sem aquela velha mesmice.

- Roteiro bem elaborado com temas muito interessantes sendo abordados
Para começar Cheese in the Trap traz uma visão sobre como é estar na faculdade, com aqueles professores exigentes como a Srtª Kang e aquele ambiente onde alguns alunos mesmo estando com idade suficiente para serem responsáveis ainda tentam se aproveitar de qualquer boboca que permita isso. Algumas cenas na faculdade me fizeram lembrar da vida de universitário, a qual vivencio agora e posso afirmar que mesmo do outro lado do mundo, as semelhanças são enormes. Por exemplo: aquele desespero para conseguir se matricular em tal disciplina. Este já foi um diferencial legal do dorama. Mas o ponto principal foi outro: este dorama trouxe questões psicológicas muito interessantes, por exemplo a crise de identidade da Min Soo (Yoon Ji Won) que por inveja da Seol teve a cara de pau de tentar ser/agir como ela. Também temos o problemático perseguidor Young Gon (Ji Yoon Ho) e o folgado/explorador/ de amigos Sang Cheol (Moon Ji Yoon), todos apresentaram contribuições para a trama. O dorama foca nas pessoas, em como existem humanos com diferentes personalidades e o quanto é difícil lidar com isso sendo sempre possível surgir conflitos, ao lidar com estes personagens secundários, de certo modo, estávamos passando a compreender também o protagonista, e isto considero uma ótima sacada do roteirista. O desenvolvimento da trama é feito com base na evolução do relacionamento entre a Hong Seol e Yoo Jung, à medida que a Seol vai lidando com os problemas que aparecem, ela passa a ter certeza de que o Jung é alguém com uma personalidade própria e definitivamente bem única, mas isto também fortalece os sentimentos dela, mantendo-a convicta de que pode ser a única que passará a compreendê-lo profundamente.

- Triângulo amoroso

Os romances foram surgindo e mesmo sendo claro que a protagonista gostaria de um, o outro foi inserido na jogada, afinal tinham que formar um trio para possíveis telespectadores shipparem errado, não é mesmo? Eu demorei muito para me decidir, pois o Jung com seu ar misterioso despertava meu interesse, e o In Ho com seu jeito impulsivo atraia minha atenção. Enfim, eu só me decidi na metade do dorama, tipo quando um casal já havia sido formado, eu simplesmente comecei a shippar o outro. P.S.²: Minha vida shipper não tá fácil! Exemplo vivo foi meu erro em Moorim School.

Yoo Jung e Hong Seol eram até fofinhos juntos, entretanto quanto mais a Seol tentava compreender o Jung, fazendo o máximo para apoiá-lo e estar perto dele, eu torcia menos por eles. Não que eu achasse a atitude da moça descartável, pelo contrário, era algo muito honesto da parte dela tentar compreendê-lo e/ou até ajudá-lo, demonstrava os verdadeiros sentimentos que ela sentia, mas mesmo assim, não consegui me apegar ao casal. 
O Jung também foi demonstrando seus sentimentos do seu modo, o que também era bonito de se acompanhar, porém nenhum dos gestos de ambos conseguiu despertar minha torcida. Acho que o fato não foi o casal em si mas a presença do Baek In Ho, que mudou tudo, pelo menos para mim, eu não enxergava o Yoo Jung como melhor candidato, mas isso não importa, questão de preferência, né?! O fato é que este possível casal não me cativou a ponto de conseguir minha torcida.

Por outro lado, Baek In Ho sendo o forever alone amigo da Hong Seol me cativava a cada episódio. Era incrível como sempre a criatura estava ao lado da moça quando ela precisava, um guarda costas mais que lindo que a ajudava e até protegia.
Eu me cativei pela relação de ambos, a proximidade que foi se tornando amizade me fez enxergar que talvez poderia surgir meu aguardado romance - sou A iludida! -  e a forma como o In Ho foi totalmente bondoso ao não pressionar a Seol com seus sentimentos dizendo que os resolveria por si mesmo foi o fim para mim. Caí de amores! E quase entro na tela para dizer que ele deveria se apaixonar por mim e tudo seria resolvido! /hsuahusa Bem, era meio que lógico eu torcer pelo In Ho sendo ele meu personagem favorito, não é?!

Mesmo eu shippando relativamente errado não posso afirmar que fiquei feliz com o verdadeiro fim deste triângulo amoroso, mas isto comentarei mais no tópico sobre o final.

- Considerações Finais

Baek In Ho e Baek In Ha como irmãos: este dois foram um ponto da trama o qual souberam aproveitar muito bem. Explorar a relação entre estes irmãos tornou-se outro diferencial de Cheese in the Trap. Temos poucos flashbacks sobre a infância dos dois, entretanto serviram bem para explicar o porquê da Baek In Ha guardar mágoa do irmão e também o motivo por trás de seu modo de ser. A infância de ambos foi complicada e quem os salvou de certo modo, foi o pai do Jung, entretanto posteriormente descobre-se a real intenção dele ao fazer isso, o que me deixou chocada. Passei a detestar o pai do Jung e me apegar mais a estes dois, os irmãos Baek ao decorrer do drama retrataram como ás vezes, se dar bem com o próprio irmão é complicado mas na hora mais difícil, o sangue fala mais alto e a irmandade resolve qualquer desentendimento. In Ha chegou até a roubar seu irmão, e várias vezes, porém In Ho no final das contas, foi quem a apoiou sem sair do lado de sua irmã mais nova.

Os irmãos Baek ganharam mais um irmão, pelo menos digamos que era para ser assim segundo a ideia do pai do Jung. Porém, a relação entre os três torna-se complicada após o desentendimento entre o In Ho e o Jung, os dois saem magoados e In Ha sente-se jogada de lado. Cheese in the Trap mostrou com este trio de que uma série de acontecimentos causados por fatos que poderiam ter sido evitados se houvesse uma comunicação entre todos pode causar mágoas irreparáveis entre as pessoas.
ALERTA DE SPOILER: Eu geralmente não curto colocar spoilers na resenha mas é meio impossível se tratando destes três. Para começar, se o Jung e o In Ho tivessem conversando sobre o acontecimento que acarretou no braço ferido do In Ho, ambos teriam descoberto toda a verdade e as mágoas causadas teriam sido evitadas. Assim, o In Ho não teria abandonado a In Ha novamente, o que com certeza foi um fator importante no modo como a garota passou a se comportar posteriormente. Uma conversa poderia ter resolvido este problema entre eles e evitado todas as mágoas futuras que só foram aumentando, tornando cada vez mais impossível os três retomarem a relação que tinham antes. FIM DE SPOILER!

- Final polêmico super comentado (possíveis spoilers)

E o que dizer do final? Enquanto uns odiaram e outros amaram, eu simplesmente, curti. O final de Cheese in the Trap provou que nem sempre tudo na vida é colorido e cheio de flores, corações e bolas de assopro. Nem sempre a história acaba com um final feliz. Saindo dos clichês de episódios finais, este fim trouxe uma maior realidade a trama. Ás vezes precisamos seguir em frente sem a pessoa  a qual não nos imaginávamos sem, a vida não é um potinho de açúcar, não é mesmo? E este final quis retratar isto. Eu sei que sempre queremos que casal X fique junto no final ou que determinado personagem morra (ou pelo menos se ferre bastante - perdoem o palavreado), mas na realidade geralmente é diferente, e de acordo com a essência do enredo que era retratar como é difícil conviver com as pessoas, suas oscilantes personalidades e maneiras de pensar, considero este fim, bem realista.

- Conclusão

Cheese in the Trap traz uma análise nas relações entre as pessoas, o que o tornou muito próximo da realidade. Há em nossas vidas, a invejosa, o stalker, os melhores amigos, o ser que só vemos como amigo e o crush, não é mesmo? Há as dificuldades financeiras, os problemas com a família e os problemas com nós mesmos. Há a nossa maneira de pensar e a das outras pessoas. Precisamos viver em sociedade e lidar uns com os outros e esta tarefa cá entre nós, não é fácil. Conviver é difícil, independentemente de com quem seja. Precisamos aprender a amadurecer como o Baek In Ho, a controlar nossa loucura assim como a Baek In Ha, aprender a se impôr com determinação para alcançar o que queremos assim como a Hong Seol e acima de tudo, aprender a lidar com o que sentimentos e pensamos assim como o Yoo Jung. Recomendo este drama para quem quer sair dos clichês doramáticos e conferir uma trama comum mas com muitas mensagens implícitas.  Abaixo deixarei a OST do dorama, espero que tenham curtido o post e claro, comentem! P.S.: Desculpem a demora para postar esta resenha e obrigada pela paciência! ^^

- OST

Não viciei na OST, mas deixo abaixo o link da que eu curti ouvir:

Cosmos Hippie - bem agradável de ouvir *-*



2 comentários:

  1. sem dúvidas para mim a In ha e o In ho foram as melhores coisas do drama

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AMEI o Baek In Ho! <3
      Baek In Ha era louca mas até que divertia! ^^

      Excluir

Sua opinião também é importante. Comente! (:

Compartilhe