Menu

W - Two Worlds [K-Drama]


Em meio à depressão doramática pós termino de drama querido, venho resenhar e comentar sobre um dos meus surtos amados/preferidos/ títulos deste ano enlouquecedor, - sendo sincera, 2016 tá de matar qualquer dorameira viciada, né não?! - daqueles que tu acompanha semanalmente e quando se dá conta já está se despedindo... O que fazer quando um dorama tão bom acaba? Chorar, né?! Ou simplesmente começar mil outros ma esperança de que algum te faça esquecer a bad que ficou... Enfim, se você ainda não assistiu esse dorama, o que está esperando? Assista logo! Não sabe o que está perdendo..


Sinopse: É possível viver no mesmo lugar ao mesmo tempo, mas em uma dimensão completamente diferente? Oh Yeon Joo é uma médica residente cardio-torácica do segundo ano. Seu pai, um criador famoso de webtoon, de repente, desaparece um dia e, em seguida, Yeon Joo é sequestrada por um homem estranho coberto de sangue e levada para uma dimensão diferente. Kang Chul é um ex-medalhista de ouro olímpico no tiro e milionário. Como será quando seu mundo se entrelaçar com o universo e a outra dimensão de Yeon Joo? Kang Chul é a única pessoa que pode ajudar Yeon Joo a escapar de um universo paralelo?
Gênero: Drama, Romance, Fantasia, Suspense, Comédia
Nº de Episódios: 16
Ano: 2016
Onde Encontrar: Fighting Fansub (download), Kingdom Fansubs (download), Viki (online)

Como costumo fazer quando assisto um dorama que recomendaria para todos os dorameiros de plantão, escreverei o post citando as razões que fazem de W - Two Worlds um dos melhores títulos do ano, e merecedor de uma posição na sua lista! 

1) Roteiro IM-PRE-VI-SÍ-VEL!

Como perceberam pela sinopse, o enredo de W- Two Worlds é bem diferente do habitual. Oh Yeon Joo é uma médica residente, filha de um famoso criador de webtoon (mangá coreano) que, certo dia, é puxada para outra dimensão. Yeon Joo é lavada para o mundo paralelo onde a história do "mangá" de seu pai é contada, lá, ela encontra o protagonista da série ferido, e como médica, salva sua vida. Entretanto, o que teria levado-a para dentro de um webtoon? É mesmo uma loucura imaginar algo assim, mas W se prende a este detalhe e te embarca em uma fantasia realmente imprevisível.  Agora, sem nem entender o porquê, Yeon Joo é puxada para o universo paralelo e jogada para sua realidade diversas vezes, se envolvendo cada vez mais em confusões inesperadas. Principalmente porque o personagem protagonista do webtoon criado por seu pai, o Kang Chul,  cisma que a moça tem respostas para todos os seus questionamentos existenciais. O moço perdeu toda a sua família, mãe, pai e irmãos mais novos, por culpa de um assassino o qual procura incansavelmente. 
Sendo que na época dos assassinatos de seus familiares, ele foi acusado injustamente, porém conseguiu provar sua inocência e desde então, se reergueu, fundando uma emissora de tv e se tornando um milionário, conseguindo o apoio da população e da mídia, buscando encontrar o assassino e colocá-lo atrás das grades. Por que alguém mataria toda a sua família? Por que lhe causariam tanto sofrimento sendo que o rapaz era apenas um jogador olímpico de tiro ao alvo? As respostas parecem mais próximas quando Yeon Joo surge, logo, ele decide mantê-la por perto. E justamente neste ponto o dorama se torna incrivelmente imprevisível, usando e abusando dos mundos paralelos, a roteirista conduz o enredo de maneira incrivelmente interessante, fisgando o telespectador e o intimando a montar teorias de como e no quê as sequências surpreendentes de fatos poderiam resultar. W- Two Worlds tem um ritmo excelente, te prende a atenção e se torna impossível de largar até o último episódio, acompanhar semanalmente foi uma tortura porque a cada episódio era uma surpresa diferente. Sabe aquele dorama que te faz montar hipóteses, teorias, te faz se envolver de um jeito surreal? Este é um deles! É como se você se tornasse parte da história. O melhor de tudo é como a roteirista conseguiu surpreender ao longo dos episódios, pois acreditem, o que parece ser nunca é em W, sempre tem algo mais, sempre acontece algo que tu não conseguira prever e aí você termina o episódio com a boca aberta -literalmente-. Sinceramente, parabenizo e agradeço à roteirista por fazer um trabalho tão maravilhoso e nos proporcionar uma trama tão bem elaborada e envolvente quanto esta.

2) Personagem de webtoon arrasador de corações humanos: 
Kang Chul (Lee Jong Suk)

E temos aqui um dos personagens mais marcantes do ano. Kang Chul é o personagem principal de W, um garoto que desistiu de ser atleta esportivo de tiro ao alvo buscando um novo destino, ser engenheiro da computação. Porém, um assassino lhe tira sua possível nova oportunidade de vida matando todos os seus familiares, obrigando-o a passar por momentos traumáticos. O rapaz é acusado de ser o assassino e mesmo depois de provada sua inocência, pensa em desistir da vida, entretanto, em uma última reflexão, Kang Chul decide dar a volta por cima e buscar a verdade por trás de tudo isto. 
Logo, ele funda uma emissora de tv onde o programa principal é sobre crimes e torna-se um milionário respeitado pelos cidadãos. Agora, rico, famoso e empresário, Kang Chul tem o poder necessário para encontrar o assassino de sua família, porém, não parece haver pistas ou qualquer vestígio deixado pra trás. Sua única opção parece ser a garota que lhe salvara a vida, a médica Oh Yeon Joo. 
Como esta mulher parece ser a única capaz de lhe dar respostas, Kang Chul começa a procurá-la em todos os lugares possíveis, e como o próprio aparecimento da moça parece ser um mistério, ele torna-se cada vez mais interessado nela. O que mais gostei no Kang foi sua integridade, o rapaz era um poço de princípios, seguindo a linha "sou politicamente correto", claro que esta qualidade foi lhe dada graças ao criador do webtoon, porém, sua força de vontade e determinação eram tão fortemente impregnadas na alma que o próprio Kang Chul consegue se sobressair sobre sua dimensão paralela. Vocês entenderão quando assistirem o dorama! Haha' 
Amei ver o Lee Jong Suk na telinha novamente, sou fã do ator desde I Hear Your Voice, e como aguardava seu retorno após o maravilhoso Pinocchio - quem sabe um dia, eu traga resenha desse dorama... - W - Two Worlds entrou na minha lista imediatamente. Jong Suk tem o dom de me fazer suspirar em cada cena, seja com o sorriso encantador ou que as emoções que transmite em cenas dramáticas, é um dos atores que mais me comovem e envolvem com sua atuação, e desta vez não foi diferente, estive completamente envolvida com o personagem,  graças à ele. Kang Chul se tornou um dos melhores personagens masculinos do ano e claro, isto é graças ao excelente trabalho do Lee Jong Suk e da boa elaboração e construção do personagem feita pela roteirista.
Não consigo lidar com a beleza desse homem... 

3) Oh Yeon Joo (Han Hyo Joo) sendo uma mocinha clichê mas totalmente amável!

E parece que este ano as mocinhas doramáticas realmente chegaram pra me conquistar e com a Oh Yeon Joo não foi diferente. Nossa protagonista é uma médica residente que aguenta diariamente o chefe meio chato porém boa gente, sendo o mesmo, um grande fã do webtoon criado por seu pai. Inesperadamente, Yeon Joo entra no mundo paralelo da história dos quadrinhos e completamente desnorteada acaba se deparando com uma situação que exige ação de sua profissão. O que ela não esperava era que salvar o Kang Chul complicaria sua vida, pois a moça seria "perseguida" por ele dali em diante. Achei a Oh Yeon Joo uma personagem costumeira considerando que era doce, meiga e um pouco dependente dos outros à sua volta, principalmente do Kang Chul, claro que ela tomava suas decisões mas se pararmos pra pensar, quem mais "enfrentava" as dificuldades era ele.
O fato de eu gostar tanto da personagem é devido à atriz que soube ser incrivelmente carismática e doce sob medida, conseguindo um lugarzinho na minha lista "queridinhas do ano'. Foi impossível ver a Yeon Joo e não lembrar da Mo Yeon, (Descendants of the Sun) não consegui não compará-las, afinal ambas eram médicas, porém Mo Yeon apresentava um senso de dever para com sua profissão que faltou na Yeon Joo, e já o carisma desta não foi tão notável na outra, curiosamente e estranhamente acabei balanceando as duas e pensando que se juntassem essas duas qualidades em uma outra protagonista feminina teríamos uma das melhores já vistas. Entretanto, também entendo que considerando os roteiros dos dois doramas, as personagens foram bem encaixadas e utilizadas nos mesmos. Enfim, esquecendo esse devaneio, posso dizer que Yeon Joo soube cativar e conquistar meu carinho, tanto por sua maneira doce de ser, quanto por sua dedicação como filha, uma de suas qualidades mais significantes.

4) Romance Supeeeeer Shippável!!!

E além de toda a treta do dorama, envolvendo o personagem de webtoon que puxa a médica Yeon Joo para um dimensão criada por seu pai, temos um envolvimento amoroso de arrancar suspiros. À medida que o Kang Chul se aproxima da Yeon Joo achando que ela lhe trará respostas, o moço sentia que um mistério existia ao redor dela e claro, estava decidido a descobrir isto. Enquanto isso, Yeon Joo fica perdida, sem saber o que dizer, afinal, está presa em mundo que conhece muito bem, o mundo criado por seu pai, no webtoon que ela sempre leu e acompanhou por 7 anos. Além de filha do dono de W, a moça era mais uma fã do popular "mangá" e conhecia todos aqueles personagens como a palma da mão. 
O que ela não poderia prever é que sua aproximação com o Kang Chul lhe renderia sentimentos que em uma análise racional não deveriam existir. Porém, como ninguém manda no coração, Yeon Joo apaixona-se pelo personagem protagonista do mangá de seu pai, super normal, né?! - Sendo o Lee Jong Suk até eu me apaixonaria! - Conhecendo todo o histórico do Kang Chul, Yeon Joo se vê cada vez mais envolvida com ele e com a trama, chegando a torna-se uma personagem fixa do webtoon
Esses dois passam por dezenas de acontecimentos marcantes e a cada episódio foram ganhando minha torcida incondicional! O que eram aqueles olhares entre o Lee Jong Suk e a Hyo Joo?! Minha gente, não dava pra ignorar! Era química, física, matemática, espanhol, línguas estrangeiras em geral, foi tanta sintonia que eu vomitava uns 1000 arco-íris a cada cena romântica entre os dois. E nas cenas dramáticas, meu coração já ficava apertado sofrendo com e por ambos. Palmas para a fofura, beleza exterior/interior, para os beijos dignos - e que beijos, heim?! - e principalmente, para a sintonia destes dois.
Shippei muito, muito, muito e muito, a ponto de querer este dois juntos na vida real. E sendo eu, uma criatura que quase nunca shippa pessoinhas na vida real, é de realmente se admirar ficar tão apaixonada por um casal. Este couple, com certeza, é um dos meus preferidos do ano, souberam ser totalmente fiéis aos seus sentimentos, Yeon Joo e Kang Chul viveram um amor improvável, um personagem de webtoon com uma humana, mas  uma relação totalmente condizente com o significado de amor, sentimento irracional. 


5) Efeitos Especiais que encantam!


Uma das coisas que mais me cativaram neste dorama foram os efeitos especiais, principalmente os que envolviam a transição dos atores para os personagens de webtoon e vice-versa. Como fã de mangás há anos é realmente maravilhoso poder conferir uma trama onde mesclem as cenas do elenco com os desenhos deles mesmos em formato de quadrinhos. Claro que os próprios desenhos dos quadrinhos me agradavam, porém a transição era tão impecável que tornou-se mais significativa. 
Confesso que desejei que abusassem mais deste aspecto, afinal amava quando isto acontecia, principalmente em relação ao Kang Chul, o ator é lindo e seu desenho ficou igualmente maravilhoso. Li uns comentários na internet e há boatos de que alguns telespectadores estariam interessados que o dorama fosse realmente lançado como um webtoon, amei a ideia na mesma hora, e vocês o que acham? Se surgir alguma campanha pela internet para que isso siga em frente, me avisem porque estaria supeeer disposta a apoiar a causa. o/ 
Confesso que vomitei um oceano de arco-íris nesta cena *-*

6) Secundários Maravilhosos!

- Seo Do Yoon (Lee Tae Hwan)

E mais uma vez morri de amores pelo Lee Tae Hwan... O moço me encantou primeiramente com seu personagem em Please, Come Back Mister e em W - Two Worlds, ele provou mais uma vez quão bom ator é, e que a função da blogueira aqui este ano é se derreter por ele. Seu personagem, Do Yoon, é o braço direito e melhor amigo do Kang Chul, sendo muitas vezes, o segurança e quebra- galhos disposto sempre a ajudar. Sua personalidade é centrada porém não tão séria quanto seu papel anterior, o que me permitiu desfrutar mais do lindo sorriso do Tae Hwan. E eu amei isso, preciso admitir. Mas também com um sorriso desse, impossível não sentir o coração palpitar né?! 
Sua amizade com o presidente Kang era um dos pontos mais fortes do enredo, sempre que nosso protagonista precisava de uma ajuda extra era o Do Yoon que aparecia. Sua fidelidade e respeito para com o Kang eram admiráveis e durante todo o dorama, eu disse TODO, ele provou isso. E aí ganhamos um bromance lindo de se ver, - eu não curtia tanto quando inseriam isto nos doramas, mas os anteriores Moorim School, Descendants of the Sun e Cheer Up! me fizeram mudar de ideia! - tanto pela parceria em cena quanto pela amizade que nasceu fora das telas, e vamos ser sinceras, duas criaturas tão lindas juntas em uma mesma cena é de balançar o coração de qualquer dorameira doce, recatada e do lar, né não?! 
Shippei tanto...

- Yoon Soo Hee (Eugene Jung)

E a Eugene é outra pessoinha que amei ver novamente este ano, afinal sua personagem em Moorim School também conseguira um lugar queridinho no meu coração. Em W, ela interpreta a secretária pessoal do presidente Kang, pelo qual também tem outros tipos de sentimentos. Possui uma amizade de muitos anos com o Kang Chul, e justamente por isso tornou-se uma fonte de apoio, amiga íntima e parte da família do rapaz. Mesmo não sendo correspondida, Soo Hee soube ser uma secundária bem cativante, não foi aquela megera insuportável comum dos dramas, pelo contrário, sua função como personagem secundária era bem óbvia, tanto que este mesmo fato é usado na trama do webtoon de maneira bem inteligente e interessante. E claro vocês só entenderão o que eu quis dizer quando conferirem o dorama! Haha'

- Park Soo Bong (Lee Shi Eon)

E o hilário Soo Bong logicamente merece meus comentários, porque personagem mais hilário que este não há! Ele é um dos funcionários do pai da Yeon Joo, o qual acabava desempenhando uma função importante na trama: fazer o telespectador rir com seus desesperos. Tá pra nascer pessoa mais desesperada que ele! Suas cenas me faziam rir horrores, principalmente seus ataques quando a Yeon Joo sumia da realidade, acabava indo para o webtoon e ele tinha que lidar com as complicadas situações que se desenrolavam após isso! Soo Bong acabou sendo uma útil ajuda à Yeon Joo nesses momentos complicados, conseguindo ser o tipo de personagem que tem seu espaço na trama.

- Park Min Soo (Heo Jeong Do)

Claramente Eu na vida...

E o chefe da Yeon Joo era outra criatura engraçada, principalmente por causa de seus ataques fanboy por causa do webtoon W. Era impossível não se identificar com ele quando algum capítulo de seu mangá favorito saía ou quando algum acontecimento do mesmo não o agradava, o personagem descreveu as reações de um fã viciado em uma obra, seja ela mangá, dorama, série, etc... 

7) Vilão e seu modo de abordagem

E como tudo é único em W - Two Worlds, o vilão não poderia ser diferente. Desde o início da trama o telespectador fica curioso querendo saber quem realmente é o culpado por trás das mortes dos familiares do Kang Chul e este foi outro ponto bem interessante do enredo. A maneira como o vilão foi sendo utilizado no dorama só aumentou a originalidade do mesmo, parando pra pensar foi algo inteligente e bem inserido, sendo que este mesmo tópico do roteiro sofreu alterações interessantes de acordo com o desenvolvimento da história. É impossível não creditar e parabenizar a roteirista pelo excelente trabalho no geral, e especificamente neste quesito que tornou-se tão diferente do habitual, pelo menos no início. E mesmo após o avanço da história, o vilão não deixou de nos surpreender, mantendo sua função original no enredo e mantendo seu principal objetivo, o qual era o motivo de sua existência.

8) Oh Sung Moo (Kim Eui Seong)

E o pai da Yeon Joo foi outro personagem bem construído e totalmente aproveitado na trama. Inicialmente, não é muito carismático, e/ou cativante, porém ao decorrer dos episódios ganha seu merecido destaque e entendemos perfeitamente seus medos, frustrações e vontades. Foi um personagem que aprendi a gostar aos poucos, principalmente por causa de suas atitudes, apesar dos seus muitos erros, consegui gostar do mesmo no final. Claro, Sung Moo não era o melhor dos pais, marido ou homem, porém foi o personagem que mais me chamou a atenção justamente por seu desenvolvimento como ser humano ao decorrer da trama. Palmas para a atuação do Eui Song que me impressionou muito em determinados momentos da história!

9) Episódio Final... e divisor de opiniões...

Pelo que li em alguns comentários na internet, algumas pessoas não ficaram tão satisfeitas com o final, não por causa dos fins dos personagens e sim por sentirem que muitas perguntas não foram respondidas. Para a blogueira aqui, o final foi excelente e não acho que tantas questões ficaram no ar, analisando o roteiro como um todo e tentando compreender as teorias -  sei que eram muitas -  por trás do mesmo, acredito sim que ficou tudo resolvido. Concordo com o fato de que alguns possíveis "ganchos" jogados em determinados episódios não foram utilizados depois, porém, fiz minhas próprias teorias - amo fazer isso! - e consegui responder as minhas dúvidas remanescentes. No geral, considero um final satisfatório. Ah! Prepare-se para ter uns ataques cardíacos nos momentos iniciais do último episódio, em 30 minutos eu já estava desesperada, o quê que foi aquilo, meu povo?! E como a função de W - Two Worlds é te fazer surtar, seria correto esperar que no último episódio ele o continuasse fazendo, né?! E fez sem dó nem piedade! Peguem os calmantes!

10) OST

Confesso que achei a OST um pouco fraca comparada à outros sucessos do ano, pelo menos no meu caso, nenhuma em particular conseguiu ganhar posição na playlist do celular. Porém, não poderia deixar de citar algumas canções:

Where Are U - Jung Joon Young 



Basick - INKII



Conclusão: W - Two Worlds foi um dos melhore doramas do ano, com um roteiro imprevisível que conseguiu fazer os telespectadores quebrarem a cabeça - literalmente - para entender tudo que acontecia a cada episódio, se manteve interessante e com um excelente ritmo até o último instante. O casal principal soube esbanjar química nas telinhas e também fora delas, me fazendo shippá-los na vida real, principalmente quando assistia vídeos dos bastidores. Se tornou um dos dramas mais marcantes deste 2016, principalmente por sua originalidade no quesito enredo, o qual proporciona uma fuga dos clichês doramáticos. E de quebra, tem o Lee Jong Suk sendo lindo e apaixonante, então, se vocês ainda não assistiram estão perdendo uma oportunidade de ouro, por isso acho justo começarem logo! Como esse post já está um pouco - muito! - grande finalizo por aqui, não deixem de comentar! :* 
Encerro com o gif  matador do ~oppa 

5 comentários

  1. De todas as resenhas já vistas sobre W, até agora a sua me representou melhor, ou seja em todos os sentidos. Realmente W foi um drama incrível. Tanto que já me peguei revendo o drama pela terceira vez rsrsr.simplesmente amei,e o que dizer de Lee Jong Suk meu oppa maravilhoso, amei sua resenha.parabéns pelo post. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Joselia, obrigada pelo comentário.
      Fico feliz que minha resenha tenha te representado. Pela terceira vez?! Nossa! Tu realmente amou mesmo o dorama, mas ele realmente merece ser visto mais de uma vez mesmo! <3
      Lee Jong Suk é lindo demais mesmo, esse ~oppa é incrível demais, impossível não gostar dele!
      Ah fico feliz que gostou da resenha. Volte sempre! Beijão :*

      Excluir
    2. Sim pela terceira vez kkkk, eu sou do tipo quando gosto eu gosto mesmo, e também tiver que rever pra tirar umas conclusões. Com toda certeza voltarei mais vezes😙

      Excluir
    3. Eu te entendo, quando gostamos muito de um dorama, a vontade é rever infinitas vezes. Hhuhau' Ficarei feliz com seu retorno! Até lá! ^^

      Excluir
  2. De todas as resenhas já vistas sobre W, até agora a sua me representou melhor, ou seja em todos os sentidos. Realmente W foi um drama incrível. Tanto que já me peguei revendo o drama pela terceira vez rsrsr.simplesmente amei,e o que dizer de Lee Jong Suk meu oppa maravilhoso, amei sua resenha.parabéns pelo post. Bjs

    ResponderExcluir

Sua opinião também é importante. Comente! (:

Topo