12 dezembro, 2016

Suki na Hito ga Iru Koto [J-Drama]


Como há tempos eu não conferia um J-Drama, decidi dar uma oportunidade à um dos títulos mais comentados no twitter este ano. E olha, valeu MUITO a pena sair um pouco dos kdramas, afinal, japoneses tem uma maneira única de contar uma história, e sempre que possível é bom espiar o que eles andam produzindo no mundo doramático.

Suki na Hito Ga Iru Koto



Sinopse: Sakurai Misaki é uma confeiteira que trabalha duro e sonha em abrir seu próprio negócio. Um dia, ela acaba sendo demitida de seu emprego e coincidentemente esbarra em Shibasaki Chiaki, seu primeiro amor nos tempos de colégio. Ao ouvir o que aconteceu, Chiaki convida Misaki para trabalhar com ele no restaurante à beira-mar de sua família, junto com seus dois irmãos mais novos, Kanata e Touma. A jovem passará o verão ao lado dos três belos irmãos.
Gênero: Romance, Comédia, Food
Nº de Episódios: 10
Ano: 2016
Onde Encontrar: Mahal Dramas Fansub (download/ online)

Saindo um pouco do habitual, optei por dividir a resenha de acordo com os motivos que fazem deste título uma ótima alternativa para sair do universo kdrama e se aventurar na teledramaturgia japonesa. Segue abaixo 10 razões que fazem de Suki na Hito ga Iru Koto merecedor de uma posição na sua lista doramática!

1) Enredo clichê mas imperdível!

Qualquer dorameiro que esteja há um tempo neste vício, conhece aquela velha trama onde uma menina decide morar com n rapazes por algum motivo, passando a conviver com eles e seus problemas. É aquele típico clichê que sempre está presente no universo doramático, esse ano tivemos também Cinderella and the Four Knights, o qual segue a mesma premissa. Porém, mesmo com toda a mesmice, sempre há aqueles títulos que conseguem se manter e ter um diferencial na forma como desenvolvem o enredo e Suki na Hito ga Iru Koto faz isso muito bem. Sakurai Misaki é um jovem confeiteira, a qual sonha em trabalhar no exterior, exibindo toda sua criatividade através de seus bolos. Entretanto, certo dia é demitida de seu emprego em uma padaria e coincidentemente encontra seu ex amor de colégio, Shibasaki Chiaki. Chiaki é administrador de uma rede de restaurantes, e como o restaurante de sua família, o Sea Sons, está precisando de uma confeiteira, convida Misaki para trabalhar com ele em sua cidade natal. O verão se aproxima e como Misaki precisa recomeçar, aceita a proposta, imediatamente mudando-se para a cidade litorânea na qual seu ex amor trabalha. Ao chegar lá, a moça descobre que Chiaki não mora sozinho e sim com seus dois irmãos mais novos, Touma e Kanata. A nova confeiteira agora precisa adaptar-se ao novo trabalho e também ao seu novo estilo de vida, no qual divide a casa com 3 belos garotos com personalidades totalmente diferentes umas das outras. A partir daí, temos um enredo clichê mas convidativo com aquele jeitinho único de contar uma história, aquela maneira que só os japoneses conseguem fazer, a qual lembra muito os clássicos animes e mangás shoujos. No geral, Suki na Hito Ga Iru Koto é divertido, fofo e bem legal de se assistir, conseguindo manter um ritmo leve, sem enrolações desnecessárias e com desdobramentos que mantém o interesse do telespectador.

2) Sakurai Misaki (Kiritani Mirei) - A Confeiteira!

Misaki é uma jovem sonhadora que ama imaginar e abusar dos ingredientes para deixar seus bolos e sobremesas mais deliciosos, além de ser incrivelmente criativa na produção dos mesmos. Ao perder o emprego na padaria sente-se deprimida, como se estivesse sendo afastada de seus sonhos, porém com os surgimento do Chiaki, encontra uma nova oportunidade. A vida lhe oferecera um emprego e talvez, o momento de viver um romance no verão, e isso empolga a garota. Inicialmente, ela achava que Chiaki morava sozinho e poder morar com sua paquera seria um sonho realizado, o que a moça não esperava era que duas pessoas viriam como brinde, os irmãos mais novos do moço. 
Seu relacionamento com cada um é totalmente diferente, com o Chiaki é tranquilo e confortável, sendo que ela tenta o seu máximo para criar coragem e declarar seus sentimentos ao rapaz. Com o caçula, Touma é algo mais divertido, culpa da personalidade dele e isto acaba aproximando os dois e os fazendo tornarem-se realmente amigos. O complicado mesmo é o irmão do meio, Kanata, o qual é rude e por vezes, grosso com a garota, e como ele é o chef da cozinha do Sea Sons, ela é obrigada a aguentá-lo pois dividem o mesmo ambiente de trabalho. Ao viver com os três irmãos começa a conhecê-los aos poucos, se tornando uma amiga próxima e alguém quase da família.
Misaki decide enxergar esta oportunidade como algo único, fazendo o possível para provar seu valor como confeiteira, assim conseguir a aprovação do chef e também conquistar o coração do irmão mais velho, Chiaki. Foi aquela protagonista típica de shoujo, doce, meiga e divertida, a qual conquista o telespectador com sua personalidade sincera. Gostei muito da atriz e não a conhecia até então, entretanto, acabei descobrindo que é a mesma do live action de Heroine Shikkaku - o qual trarei resenha depois, acho - e lá, ela também atuou ao lado do Kento, olha que coisa boa! *-* Só gostaria de mencionar uma última coisa: geeente, eu me achava magra até ver a Mirei! Sério, nem as roupas folgadas conseguiam disfarçar o quanto a menina era magérrima, se ela é naturalmente assim, menos mal. Mas se isso é resultado de dietas, temos que admitir que é chocante! Saúde em primeiro lugar né?!

3) Os Três Irmãos Shibasaki:
  • Chiaki (Miura Shohei) - O politicamente correto
Chiaki é o irmão mais velho, o qual gerencia o restaurante de sua cidade natal e alguns outros, sendo incrivelmente responsável quando o assunto é ser o chefe da família. Como os três irmãos vivem sozinhos, ele sente-se responsável pelos outros dois, chegando a fazer o possível e impossível para não magoá-los. Foi aquele personagem todo certinho, politicamente correto, o homem doce da trama, aquele que a gente sempre vê por aí em doramas. E mesmo me cativando um pouco, não tornou-se meu irmão preferido. Admito que o garoto foi o tempo inteiro justo, correto e sincero, porém sua covardia em alguns momentos, como exemplo, dizer o que sentia, me dava nos nervos. Entretanto, vale ressaltar que foi paciente e admirável quando reconheceu seus erros, e me tocou com seu amor de irmão mais velho. Eu amo quando temos na trama um irmão tão incrível assim, e Chiaki soube ser um irmão mais velho pra ninguém botar defeito! 
  • Touma (Nomura Shuhei) - O caçula divertido
Ao contrário do irmão mais velho, Touma era mais divertido e descontraído. Sendo um garoto imaturo em muitas ocasiões, pelo menos era o que aparentava inicialmente. Aos poucos vamos conhecendo seu lado meio Casanova - o moço até tinha uma namorada fixa, a Fuka mas achei que o casal não teve tanto destaque quanto deveriam - e seus medos e receios, o que nos faz entender que Touma era na verdade, um garoto inseguro. Achava-se menor do que os irmãos, principalmente em relação ao Kanata, sentia que jamais conseguiria ser um chef tão bom quanto ele. Justamente por isso, fugia das responsabilidades no restaurante e tentava passar o dia apenas se divertindo, tentando esquecer suas inseguranças. Apesar de tudo foi incrivelmente carismático, sendo em muitas ocasiões o que dava um tom de comédia no dorama, um garoto que ainda precisava amadurecer mas que sabia como ninguém, consolar qualquer um de seus irmãos quando necessário. Touma foi aquele caçula adorável e que teria me conquistado a ponto de ser o meu irmão preferido do enredo se o Kanata não existisse...
  • Kanata (Yamazaki Kento) - Frio por fora, Caloroso por dentro!

Antes de mais nada, gostaria de deixar meu desabafo: onde RAIOS eu estava que até então não descobrira o Kento???? Geeeente, amei esta criatura e sinceramente, já estou atrás de outros trabalhos do moço porque ele me conquistou de um jeito surreal com sua atuação! Enfim, voltando a resenhar de uma maneira normal... Kanata é o irmão do meio e de todos os irmãos é o mais sério e por vezes, rude e frio. Sua personalidade não é tão amável quanto as dos outros irmãos, pelo menos no início, o telespectador o acha um grosso e até rude, principalmente quando o assunto é a Sakura.
A recém-chegada vê-se obrigada a provar quão boa confeiteira é, para assim convencer o chef do Sea Sons que tem o potencial necessário para trabalhar com ele. E obviamente, ele não tornaria as coisas fáceis pra ela. Entretanto, à medida que a trama desenrola-se percebemos que o Kanata pode ser assustadoramente frio por fora mas. por dentro é muito caloroso, solidário e até fofo. Então, eu acabei caindo de amores por ele. 
O moço torna-se um amigo da Misaki, sendo o ponto de consolo dela quando a mesma está chateada e magoada, então era impossível não se admirar com o quanto ele conseguia ser amável de um jeito introspectivo. Além de que, quando o assunto era seus irmãos, ele era outro que faria o possível e impossível para vê-los bem. Eu simplesmente AMEI a personalidade do Kanata, um rapaz sério que aparentava ser grosso e pedra de gelo, mas que demonstrava que por dentro era algo mais, tinha um coração enorme. 
A maneira como o Kento interpretou o personagem também contribuiu muito para o enredo em si, ele realmente transmitia aquela aura de menino grosso e ao mesmo tempo, transparecia um lado doce. É impossível explicar com palavras, gente! Só assistindo mesmo pra entender! Enfim, Kento foi perfeito e tornou-se um dos atores que estará na minha listinha "queridinhos" e pretendo conferir mais trabalhos do rapaz!

Relação dos Três Irmãos!

Impossível assistir Suki na Hito Ga Iru Koto e não encantar-se com a maneira de abordagem da relação deste trio. Os rapazes conquistaram todo o meu amor e carinho pois demonstraram o que uma família de verdade representa. Só tinham uns aos outros, e quando necessário eram o apoio, consolo e porto seguro que precisavam. Mesmo que se desentendessem, sabiam refletir e entender que o mais importante eram seus laços, a consideração e amor que tinham um pelo outro, e isso ficou visível em determinado momento da trama no qual uma certa revelação surge. Chiaki, Kanata e Touma foram um trio de irmãos incrivelmente apaixonante, e mesmo com suas personalidades tão distintas conseguiam ser uma família de verdade e retratar o que este laço significa.

4) Triângulo Amoroso - Chiaki + Misaki + Kanata

E como de praxe temos mais um triângulo amoroso... Misaki chega a cidade litorânea empolgada para trabalhar no Sea Sons e morar com seu ex amor do colegial Chiaki-san. E além de enxergar esta oportunidade profissionalmente também percebe que esta pode torna-se um importante avanço em sua vida amorosa. Sendo assim, a moça começa a aproximar-se do Chiaki para tentar entendê-lo e descobrir se tem alguma chance, em contrapartida, aproxima-se também do Kanata por ele ser seu chef e precisar provar seu valor como confeiteira ao moço. Enquanto o Chiaki parece alheio aos sentimentos da moça, e com o surgimento da ex dele, - sempre acontece né?! - Misaki sente que pode não ter chances e por vezes, magoa-se. E adivinhem quem lhe é um consolo??? Isso mesmo, o Kanata! 
É claro que sendo tão diferente do irmão, o Kanata não a consola daquela maneira doce, ele o faz de acordo com sua própria personalidade. Falando umas verdades na cara da moça e aconselhando-a de modo meio grosso mas verdadeiro e sincero. Kanata consegue chamar a atenção da Misaki, e inesperadamente, o Chiaki começa a reparar nela - atrasado demais!. Então... já podem perceber a confusão né?! Porém, a maneira como abordaram o triângulo amoroso foi leve e interessante, sem aquele dramalhão e sinceramente, acho que seria impossível shippar qualquer outro casal que não fosse o que vingou no final. 
É claro que o Chiaki tinha seus encantos, mas era algumas vezes muito alheio aos sentimentos da Misaki e muito lerdo no quesito tomar uma atitude. Enquanto isso, o Kanata não perdeu tempo e logo tratou de dizer à moça, o que sentia, com aquele modo direto dele, sem papas na língua e sem mimimi. #TeamKanata Vamos ser sinceras né?! Impossível não amar garotos que tem atitude e dizem o que sente, mesmo que o digam assim na lata e deixem a pessoa meio surpresa demais. Mas enfim, Misaki era uma sortuda pois seu amor inicial acabou a notando e como brinde ainda conseguiu o carinho de outro boy da jogada. Como faz pra ter uma sorte dessas, meninas?!

O Casal da Cozinha! <3


Como a Misaki precisa provar seu valor como confeiteira para o Kanata, faz de todo o possível para convencê-lo mostrando quão criativa era com seus bolos e sobremesas. Com isso, podemos conferir o casal dividindo a cozinha do restaurante, ambos exibindo suas habilidades e compatibilidades no quesito "cozinha". Além de ser uma fofura ver o Kanata consolando a Misaki, também era maravilhoso poder conferir o quão dedicado cozinheiro ele era, e esta qualidade obviamente não passou despercebida pela Misaki. Ambos na cozinha eram admiráveis e juntos formaram uma dupla incrível, me deram até fome, acreditam?! Afinal, ver estes dois cozinhando alimentos tão aparentemente deliciosos era de dar água na boca. 
Amei a maneira como os roteiristas desenvolveram a relação dos dois a partir deste ponto em comum, convencendo o telespectador de que eles eram realmente compatíveis. Então admito que shippei MUITO estes dois, afinal Kanata soube ser decidido, direto e corajoso ao confessar o que sentia, enquanto seu irmão ficava se acovardando e pensando na morte da bezerra. Tem um limite de paciência no meu ser, e se o Chiaki gostava mesmo dela deveria ter tomado uma atitude, e mesmo eu tentando entender o porquê de tanta lerdeza, não consegui! 
Então, me sobrou torcer, torcer e torcer loucamente para que a Misaki acabasse apaixonando-se pelo Kanata. O qual desde o início, lhe foi um consolo, um amigo e mesmo sendo grosso e brigando com elas às vezes, provara em inúmeras ocasiões que se importava com a moça. Estava sempre ao lado dela e com seus gestos simples mostrava quão caloroso era por dentro, apesar de por fora querer aparentar ser frio e distante. 
Sério geeeente, como resistir ao meio sorriso do Kento?! Impossível!!! Eu mesma morria em cada momento que ele fazia aquela carinha séria e depois, do nada, jogava um meio sorriso na telinha... 
Só posso afirmar que será impossível não shippar estes dois!

5) Casal Secundário: Himura Nobuyuki (Hamano Jenta) + Okuda Mikako (Sano Hinako)

E o que dizer deste casal secundário hilário?! Nobuyuki e Mikako são um casal amigo dos três irmãos, os quais posteriormente tornam-se amigos da Misaki. Foram protagonistas de muitas cenas divertidas, sendo os responsáveis junto com o Touma por trazer um ar de comédia maior à trama. Sem dúvidas, conseguiam ser divertidos e carismáticos, então tornaram-se um adicional legal ao enredo.

6) A amiga da Misaki

Outra que tornou-se um adicional interessante foi a amiga da Misaki. A mesma não tem grande destaque na trama, mas nas vezes em que aparecia, divertia o telespectador. Torna-se a conselheira de verão da Misaki, e por telefone foi o apoio emocional que a amiga precisava enquanto lidava com sua situação no triângulo amoroso. Foi aquela best friend necessária a toda e qualquer protagonista de shoujo, sabem como é né?! 

7) Kaede (Nanao) - Megera NÃO Megera

Kaede é a ex do Chiaki, a qual aparece em certo momento da trama. É claro que este clichê de ex aparecendo do nada, irrita sempre, porém a moça não era uma megera daquelas que nos fazem querer matá-la. Ela foi uma personagem que mais pareceu ser um extra e nem teve tanto destaque assim, é claro que me irritou em certo momento, por causa de sua determinada atitude para com a Misaki. Entretanto, depois entendi que a Kaede era uma garota apaixonada que só queria estar ao lado de quem gostava, mas não sabia exatamente como fazer isso. E quando percebeu mudanças nos sentimentos do Chiaki soube ser adulta e forte ao deixá-lo ir... No fim, entendi que a Kaede não era AQUELA megera mas sim, apenas uma garota que amou e teve o azar de sua história de amor não ter dado certo porém tentaria superá-la futuramente.

8) Cenários Incríveis!

E um dos motivos que mais me fizeram amar Suki na Hito ga Iru Koto foram os cenários que constituíam o dorama. Como não se encantar com as praias, a região litorânea e o maravilhoso tour por Enoshima, o qual junto com os protagonistas fizemos?! 
Além de que, poder ver o Kento mostrando o abs, bronzeado e sendo um garoto praieiro foi maravilhoso! Se eu já queria visitar o Japão, agora quero mais ainda! Então se vocês, assim como eu, gostam quando um drama usa e abusa de cenários verdadeiros e pontos turísticos do próprio país, irá amar este título!

9) Final: Comum mas válido!

O último episódio foi simplório e apenas cumpriu a proposta inicial da trama, e meio que adicionou um dramalhão a mais. Apesar de eu ter sido brevemente enganada pensando que, de certo modo, meu casal querido não ficaria junto, no fim, tudo deu certo. Gostei da maneira como os fins dos personagens foram justos, sendo todos comuns porém aceitáveis. Pode-se dizer que o último episódio colocou determinado casal em um momento difícil, onde precisavam fazer escolhas sobre seus futuros, tanto em prol de si mesmos como um do outro e as atitudes de cada um foram compreensíveis. E juntos, esse casal provou que quando há sentimento verdadeiro sempre há solução para os obstáculos da vida.

10) OST

A trilha sonora é um jpop bem gotosinho de ouvir, daqueles que se tornam um complemento maravilhoso para a trama. Confiram abaixo a canção:



Para quem nunca assistiu um dorama japonês e gostaria de ter esta experiência, esta é uma ótima proposta! Então, espero que o post tenha os convencido a mergulhar um pouco na teledramaturgia japonesa, e quem já conferiu o título não deixe de comentar abaixo! :*

2 comentários:

  1. Tbm amei o dorama e foi meu primeiro. seu blog está magnífico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro dorama?! Ah, escolheu bem! hehe' Aaaaahhh, obrigada! Comentários como este me incentivam muito a continuar com o blog, obrigada! ♥ Volte sempre tá?! ((:

      Excluir

Sua opinião também é importante. Comente! (:

Compartilhe