12 julho, 2015

Cidades de Papel [Filme]


Mais uma adaptação cinematográfica que eu não poderia perder, depois de ler o livro (confira meu post anterior aqui) e me apaixonar pela história, estava realmente curiosa e empolgada para assistir. Como resultado fui conferir (nem vou comentar as filas que enfrentei com uma amiga para conseguir comprar o ingresso), não se tornou um dos meus filmes preferidos (ao contrário do livro) mas considero que valeu a pena ver.


Cidades de Papel


Depois do sucesso de A culpa é das estrelas, claro que não perderiam a oportunidade de adaptar mais um romance do John Green e sendo este o escolhido da vez, estava muito ansiosa afinal o livro se tornou o meu preferido do autor recentemente. De início ao ver o trailer, detestei a dublagem (principalmente a da personagem Margo), achei uma voz irritante e estranha. Por isso tentei de tudo para ver o filme legendado mas não consegui e no final acabei vendo dublado mesmo (realmente uma pena :/ ). 

Transformar um livro em filme é sempre difícil, principalmente sendo um livro famoso, sempre tem os fãs que querem uma cópia fiel e outros que aceitam pequenas alterações. Sou do tipo que prefere que seja o mais fiel possível afinal se você lê o livro e gosta daquela forma vai querer ver daquele jeito. Concordo que ás vezes algumas pequenas alterações são necessárias, neste caso aqui, até curti algumas mas sinceramente não aprovei muitas das que fizeram. Considerando que você já leu o livro, vou comentar sobre o filme em si.

No começo do filme temos o Q contando sobre como se apaixonou pela Margo desde a primeira vez em que a viu. E gente, a Hannah Alligood que interpreta a Margo jovem é realmente parecida com a Cara Delevingne:


Vemos como eles eram amigos e o momento em que encontram o corpo do cara que havia se suicidado (cena que na minha opinião foi muito melhor no livro) mas o tempo passou, Quentin e Margo se distanciaram. Porem, uma certa noite, Margo aparece em sua janela pedindo ajuda para sua vingança e claro que ele topa ajudá-la.



As aventuras que eles vivem nesta noite são basicamente as mesmas do livro, até o diálogo ao se despedirem foi praticamente o mesmo (só não consegui gostar da cena em si, não sei o porquê), eles se despedem e Margo volta para sua casa.


No outro dia, a garota some do mapa e as especulações sobre seu desaparecimento começam. Quentin começa a se preocupar com o que pode ter acontecido com sua paixão e decide procurá-la.


Seus queridos amigos passam a ajudá-lo. Radar e Ben nos dão o ar da graça, trazendo humor as cenas. 


A partir daí, assim como no livro temos a "caçada" a misteriosa Margo. Vejam o filme e descubram tudo que acontece depois. Haha'

Ah, também temos uma participação mais que especial do lindinho Ansel Elgort (o Augustus Waters de A culpa é das estrelas) , confiram no filme. ^^


* Atuações:


Quentin Jacobsen é interpretado pelo Nat Wolff, ele realmente parecia um bobão (rsrs) e quando li o livro ás vezes tinha essa impressão do Q. Mas não conseguiu me cativar, acho que na verdade o problema foi o fato de eu não ter gostado muito do filme em si (continuem lendo que explicarei mais na frente). Mas nem por isso discordo de que ele atuou bem. apesar de não ter amado o ator também não odiei.


A Cara Delevingne foi a responsável por dar vida a misteriosa Margo Roth Spiegelman. Na verdade não gosto da personagem em si, por causa de suas ações. A atriz teve até o ar misterioso assim como a personagem, mas também não consegui gostar da atuação em si. Não que ela seja uma atriz ruim, não. Eu apenas não gostei, questão de gosto mesmo. Só isso. Se o próprio John Green disse que ela entende a Margo melhor que ele quem sou eu para dizer o contrário, não? Um ponto importante e bacana foi o fato dos roteiristas serem fiéis em relação a personagem dela, uma garota que estava perdida em uma cidade de papel e que precisava se encontrar, encontrar o que queria para o futuro. Isso transpareceu no filme do mesmo modo como no livro.


Austin Abrams para mim tinha um trabalho difícil, interpretar meu personagem preferido do livro. Como não amar, o Ben Starling ? <3
 Eu gostei de sua atuação (acho que meu problema foi apenas com os protagonistas - rsrs) ele foi idiota e fofo como o Ben. Admito que não o achei tão engraçado bêbado no filme como no livro, mas mesmo assim seu vômito foi épico (KKK). 





Interpretando Radar e Angela, temos os atores Justice Smith e Jaz Sinclair. Achei muito bacana o espaço que deram para o relacionamento deles no filme (o que no livro para mim, faltou) e eles tinham uma fofa química juntos.








E claro que tenho que comentar sobre a Halston Sage como a Lacey, a amiga de Margo. A atriz foi até divertidinha mas prefiro a personagem no livro do que no filme (rsrs). 







* Livro vs Filme

Algumas alterações foram feitas e dá para perceber nitidamente se você prestar atenção, como na cena em que eles dançam e no final. Não acho que ficaram tão ruins mas sinceramente não gostei muito, talvez por isso que eu tenha gostado menos do filme. Teve algumas boas como por exemplo, no livro a Angela não vai com os amigos atrás da Margo, no filme sim e isso tornou tudo mais divertido. Acho que faltou mais cenas do Ben no carro (no livro ele toda hora quer fazer xixi e isso era hilário, KKK) e quando conta sobre o momento do quase acidente, que ao virar o volante estava mais preocupado com a própria vida e não de seus amigos, eu ri tanto no livro com isso e esperei ansiosa pela cena no filme (maaas não teve :/ ). Sempre digo que prefiro quando os roteiristas tentam o máximo para manter a fidelidade em relação ao livro, sei que não é fácil conseguir, muitas coisas precisam ser mudadas mas acho que é possível fazer um filme tão bom quanto o livro, se fosse dar uma nota seria 6,5. Não consegui sentir ao ver a adaptação a emoção que me acompanhou ao ler o livro, claro que seria diferente ver algo que você imaginou ao ler mas é até possível chegar a um sentimento comum, aconteceu por exemplo quando li e depois assisti o filme Se eu Ficar, mas Cidades de Papel não conseguiu isto. O filme como um todo não é ruim, repito. É divertido, romântico de uma certa forma e com lindas mensagens, mas o principal que era o ar de mistério em torno do desaparecimento da Margo que te fazia pensar zilhões de coisas no livro faltou no filme. Porem, considerando a mensagem final sobre como cada um de nós tem o seu milagre, o Q percebe o seu e isso foi tão emocionante quanto no livro. Pode ter gente que realmente amou o filme mais que o livro, eu sem dúvidas prefiro reler do que rever. Acho que A Culpa é das Estrelas ganhou no quesito adaptação mas também não posso dizer que esta foi a pior que já vi porque teve momentos que gostei. Então, no geral aconselho a verem sim, mas sem muita expectativa principalmente se você leu o livro.


O que vocês acharam? Deixem suas opiniões. (:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião também é importante. Comente! (:

Compartilhe